Maranhão volta a debater exportação de boi vivo pelo Itaqui

0
649

Diretores da AgroExport estiveram reunidos com representantes das secretarias de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e de Indústria e Comércio (Seinc), além da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged) para debaterem estratégias para exportação de animais vivos no Maranhão e o cenário local para a realização desta nova modalidade de exportação.

O vice-presidente da AgroExport, Alexandre de Castro Carvalho, falou da atuação da empresa no Maranhão desde 2009 e destacou o novo cenário estadual de agronegócio. “Queremos aproveitar a receptividade que o governo atual teve de nos receber para buscar utilizar o Porto do Itaqui, a posição geográfica do Maranhão e os seus recursos naturais para o desenvolvimento do estado”, explicou.

No evento, as equipes da Sagrima, Seinc e Aged reforçaram a importância da exportação do gado maranhense e da utilização da mão de obra local no processo; trataram das recomendações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para o trânsito de animais; e falaram sobre a atuação do governo no sentido de desenvolver o agronegócio. “Nós iniciamos as atividades de fiscalização volante agropecuária na semana passada. E é um projeto da Agência fazer a integração da GTA [Guia de Trânsito Animal] eletrônica, como já é feito no Pará, com a nota fiscal”, ressaltou Michelle Lemos e Abílio, fiscal estadual agropecuário da Aged, responsável pelo trânsito animal.

O secretário adjunto da Sagrima, Fortunato Macêdo, reafirmou a importância do diálogo entre o governo estadual e os empresários. “A Sagrima está imbuída do mesmo propósito de atrair investimentos, dar mais oportunidades aos nossos produtores e gerar mais desenvolvimento para o estado. O Maranhão está aberto aos diálogos e a negócios que valorizam nossos produtos”, defendeu.

Itaqui – Desde a realização do embarque bem-sucedido de cinco mil bois vivos pelo Porto do Itaqui, em novembro do ano passado, o governo vem debatendo essa oportunidade de negócio. No início de março deste ano, os secretários de Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser, e de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, além do presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária, Ted Lago, participaram de uma audiência pública para discutir o futuro da pecuária maranhense.

Até janeiro desde ano, o Porto do Itaqui realizou três embarques de bois vivos, totalizando 16.588 cabeças de gado, carga oriunda de rebanhos do Pará com destino ao mercado internacional. Desde 2009, o seu potencial para esse tipo de exportação já era reconhecido e a demanda era grande, mas as gestões anteriores da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) não demonstraram interesse. Atualmente, o porto já possui certificação para embarque de gado vivo e um Procedimento Operacional Padrão para Embarque de Carga Viva, elaborado com atenção à segurança e à eficiência logística.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação