Maranhão volta a registrar saldo negativo na geração de empregos

0
475
Maranhão registra uma das taxas mais altas no período em que as empresas estava proibidas de funcionar

AQUILES EMIR

O Maranhão voltou a registrar saldo negativo na geração de empregos, em maio, segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira (27) pelo Ministério da Economia. De acordo com os dados, no mês passado foram admitidas 11.931 pessoas, porém as demissões somaram 12.037, o que dá um resultado de -106.

Indústria de transformação, com 155 postos de trabalho fechados, e agropecuária, com saldo também negativo de 106, foram os setores que mais contribuíram para o desempenho negativo do mês.

O melhor desempenho de maio ficou para o setor de Serviços, que conseguiu manter 92 postos de trabalho, seguido de Administração Pública, que manteve 46.

Eis a tabela de geração de empregos no Maranhão em maio:

Indústria de transformação 977 1.132 -155 -0,43
Serviço industrial de utilidade pública (SIUP) 53 50 3 0,04
Construção Civil 1.811 1.830 -19 -0,05
Comércio 3.646 3.621 25 0,02
Serviços 4.475 4.383 92 0,05
Administração Pública 83 37 46 0,32
Agropecuária 863 969 -106 -0,47
Total 11.931 12.037 -106 -0,02

 

Acumulado – Apesar do resultado negativo de maio, o Maranhão ainda tem um saldo positivo de 3.712 postos de trabalho preservados nos cinco primeiros meses do ano. De janeiro a maio, foram contratadas no estado 66.128 pessoas e as demissões somaram 62.416.

O acumulado dos 12 meses é 8.947 postos de trabalho preservados. Foram 154.201 admissões contra 145.254 demissões.

Capital – Na linha oposta do estado, São Luís teve desempenho positivo em maio. Segundo o Caged, as admissões na capital totalizaram 5.952, enquanto as demissões somaram 5.734, o que dá um resultado de 218 empregos mantidos. Nos cinco meses, São Luís manteve um acumulado de 4.062 empregos preservados, resultados de 35.911 admissões e 31.849 demissões.

Nos últimos 12 meses, os empregos mantidos na capital somam 6.533, já que houve 78.352 contratações contra 71.819 demissões.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação