Hospital São Luiz promove Oficinas de Libras para capacitação de toda a sua equipe

0
195

Ações da Semana prosseguem até o próximo sábado

Até sábado (28), ocorre em todo o país uma série de eventos por conta da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, com debates sobre a necessidade da inclusão das pessoas com deficiência, assim como sendo destacadas as boas iniciativas do mercado de trabalho e da sociedade em geral referentes ao respeito, na prática, dos direitos desse público.

No Maranhão, um bom exemplo é o Hospital São Luiz, que conta com um total de 29 colaboradores com deficiências. São 16 com deficiência auditiva; sete com deficiência física; cinco com deficiência visual  e um com deficiência múltipla. Eles atuam em diversas áreas do hospital, executando funções como auxiliares de farmácia e de cozinha, serviços gerais, setores administrativo e de farmácia, como técnicos de enfermagem  e recepcionistas.

“Ter colaboradores PCD´s só enriquece nosso ambiente de trabalho. Eles são produtivos e respeitados pelas equipes. E nos ajudam a exercitar o respeito à diversidade e fomentar a humanização que tanto priorizamos”, diz Plínio Tulozzo

O objetivo é não apenas cumprir cotas legais de colaboradores PCD´s, mas promover a diversidade no ambiente de trabalho do HSLZ. Segundo o Diretor Geral Plínio Tuzzolo, um dos valores da gestão do HSLZ é priorizar a humanização entre pacientes e familiares e colaboradores; e isso inclui também, promover um ambiente de trabalho mais diverso e inclusivo.

Segundo Rebeca Cutrim, coordenadora do Núcleo de Educação Permanente (NEP), são desenvolvidas várias ações voltadas para a conscientização e educação dos colaboradores sobre temas referentes à inclusão das pessoas com deficiências.

Uma dessas iniciativas é a Oficina de Libras, que começou a ser ministrada nessa Semana Nacional da Pessoa Com Deficiência Intelectual e Múltipla e que vai continuar ao longo do ano.

“Já temos colaboradores com níveis básicos de alfabetização em libras, pois já promovíamos uma capacitação informal semanalmente, com ajuda dos colaboradores surdos, que nos ensinavam frases e sinais básicos. Mas vale lembrar que assim como o português, a libras é uma língua que possui regionalismos, e que precisa ser estudada de fato para poder ser dominada. O NEP essa semana começou a promover com o apoio do CAS / Centro de Ensino de Apoio às Pessoas com Surdez uma capacitação mais completa, e através das Oficina de Libras, nosso objetivo é alfabetizar o máximo de colaboradores do HSLZ em libras. Não basta receber PCD´s  entre os colegas, mas precisamos de fato oferecer condições de trabalho e respeito, e isso passa pelo domínio do idioma de libras”, explicou Rebeca.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação