Militantes do MST e Via Campesina invadem sede da Aprosoja e outras entidades do agronegócio em Brasília

0
147

Protesto seria contra política econômica de Bolsonaro

O prédio em que funcionam a Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja), Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho) e Associação Brasileira dos Podutores de Sementes de Soja (Abrass), além da filial do Canal Rural (emissora de TV voltada para o setor rural), em Brasília (DF), foi depredado na manhã desta quinta-feira (14). A invasão, organizada por militantes do Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) e Via Campenisa, seria um protesto contra a política econômica do governo.

Nas paredes do prédio foram escritas frases como “Agro é morte”, “Aprosoja é fome” e “soja não enche prato”. O ato integra a “Jornada Nacional da Soberania Alimentar: Contra o Agronegócio para o Brasil não passar fome”.

Numa demonstração de apoio ao ato de vandalismo, o MST postou no Twitter, uma declaração de aprovação:

Em um Brasil que sofre com 20 milhões de trabalhadoras e trabalhadores famintos, Bolsonaro vetou o Projeto de Lei 823/2021 (PL Assis Carvalho), uma iniciativa organizada pelos movimentos populares do campo para garantir a Soberania Alimentar no país. Precisamos de subsídios e investimentos na agricultura familiar e camponesa. O governo Bolsonaro é culpado pela miséria e pela fome dos brasileiros e brasileiras.”

Bolsonaro se Alimenta da nossa Fome! BolsoAgro é Fome, é Tóxico, é Fogo, é Morte!“, finaliza.

Já a Via Campesina, postou a seguinte mensagem:

A ação, que contou com a participação de cerca de 200 camponeses e camponesas, denunciou o protagonismo que o agronegócio cumpre no crescimento da fome, da miséria e no aumento do preço dos alimentos no Brasil. Neste ano, o Agronegócio, com a produção de soja, milho e cana-de-açúcar, principalmente, está batendo recordes de exportações e lucro“.

Um diretor da Aprosoja postou um vídeo nas redes sociais em que mostra a extensão do estrago:

O ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, também postou um vídeo sobre a agressão ao prédio:

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui