Montadoras investem mais em programas de pós-venda para fidelizar os clientes

0
692

AQUILES EMIR

Visando a uma maior participação em vendas no mercado automotivo, as montadoras têm feito altos investimentos na melhoria dos seus produtos, apresentando-os com design mais atraente, componentes de segurança e conforto, redução no consumo de combustíveis etc, mas um item importante para fidelizar o cliente é o pós-venda, por isto novos programas têm sido criados a fim de evitar constrangimentos e embaraços sempre que o veículo tiver de ser levado à assistência técnica. O objetivo é diminuir o tempo de permanência do carro na oficina e evitar que o proprietário fique a pé ou tenha despesas extras para manter a sua locomoção.

Um dos exemplos é o Peugeot Total Care que a montadora francesa lançou com dez itens, um deles prevendo a devolução do veículo em no máximo 24 horas a partir do seu recebimento, mas se esse tempo ultrapassar o prazo preestabelecido, um outro é cedido a título de empréstimo até a solução do problema. A montadora garante ainda que se for apresentada uma fatura com valor acima do orçamento, a diferença será assumida por ela, reboque 24h por oito anos para casos de pane ou colisão, além de outros itens.

Com esta estratégia, a Peugeot procura conquistar uma maior confiança do consumidor brasileiro. Como explica Ângelo Gusmão, diretor comercial do Grupo Luz, que representa esta marca pela Gran Car, apesar da produção desses carros em fábricas brasileiras, das facilidades para o fornecimento de peças de reposição e outras melhorias nas relações da empresa com seu público, muitos ainda acham que as marcas estrangeiras que chegaram por último no Brasil ainda podem oferecer problemas na assistência técnica, o que não faz o menor sentido, pois, além do estoque na rede de concessionárias, qualquer item demandado fora do estado é recebido em questão de horas.

Citröen – Outra montadora que lançou um pós-venda ousado é a Citröen, que criou o Citröen Pro, que garante revisão no mesmo dia, preço fixo, carro reserva e oito anos de assistência técnica. Para as revisões 10, 20 e 30 mil quilômetros, a montadora diz que o valor corresponde a um investimento de R 1,00 ao dia, ou seja, nos três casos pagará apenas R$ 365,00. Vale destacar que esses valores referem-se apenas a revisões de mecânica ou elétricas, desde que o veículo não tenha sofrido alterações no seu projeto original. Para os casos de colisão e outros as tabelas são outros.

Gusmão diz que essa questão é levada tão a sério que nos últimos meses cada uma das montadoras mandou para São Luís cerca de dez veículos, para atender aqueles que necessitarem de revisões mais minuciosas. “A ordem é se faltar carro próprio para atender esse quesito recorrer às locadoras, mas nunca deixar o cliente a pé”, acrescenta.

A estratégia, conforme interpretação do executivo, faz com que as marcas mais sofisticadas avancem mais na fatia que antes era quase que exclusiva dos modelos populares, pois hoje em dia se o consumidor fizer as contas na ponta do lápis verificará que é muito mais negócio adquirindo esse tipo de carro, já que os preços são próximos, entretanto itens de fábrica são bem maiores, e com essas garantias de pós-venda a segurança também aumenta.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação