Morte de sócio da Cosan é a segunda tragédia envolvendo empreendedores do Porto São Luís

0
841
Walter Torre (segundo à esquerda) com o governador Flávio Dino, o vice-governador Carlos Grandão e sócios chineses no lançamento do Porto São Luís (foto divulgação)

Em dezembro, morreu o idealizador do projeto, Walter Torre

AQUILES EMIR

A morte do empresário Celso Silveira Mello Filho, na manhã desta terça-feira (14), no interior de São Paulo, onde um avião de sua propriedade caiu segundos depois de levantar voo do aeroporto de Piracicaba (SP), é a segunda tragédia envolvendo empreendedores do Porto São Luís. Em dezembro do ano passado, morreu de parada cardiorrespiratória, também em São Paulo, mas na capital, Walter Torre Júnior, do Grupo WTorre, que foi o idealizador do projeto em sociedade com a chinesa CCCC.

Celso Filho era sócio com o irmão Rubens Ometto Silveira Mello na Cosan, empresa que opera também com Raízen (joint venture com a Shell no setor sucroalcooleiro, energético e de distribuição de combustíveis), a Compass (gás e energia), a Moove (lubrificantes), Rumo (operadora logística com base ferroviária) e que em agosto anunciou sua entrada no mercado mineral e aquisição do Porto São Luís, numa transação firmada com a chinesa sócia do empreendimento.

Celso Silveira Mello Filho foi vítima da queda de um avião de pequeno porte em Piracicaba (Gustavo Annunciato/Agência Brasil)

A Cosan foi fundada em 1936 na cidade de Piracicaba, no interior paulista, com a fundação de sua primeira fábrica para moagem de cana-de-açúcar. A partir da década de 1980, expandiu a atuação com a aquisição de várias fábricas no estado como a liderança de Rubens Ometto.

A maioria dos seus negócios está com ramificações no Maranhão, onde tem terminal de distribuição de combustíveis da Raizen, no Porto do Itaqui; opera na Ferrovia Norte-Sul e agora com o terminal portuário privado. Sua morte teve grande repercussão no estado.

Empresário Walter Torre Júnior morre aos 64 anos, em São Paulo | Poder360

Torre – Quanto a Walter Torre, ele era bastante conhecido dos maranhenses por ser o dono da WTorre, construtora responsável pela reforma e administração do Allianz Parque, estádio do Palmeiras, em São Paulo, e pelo empreendimento do Porto São Luís, na capital maranhense, em sociedade com a empresa chinesa CCCC.

Ele fundou a construtora em 1981, e viu o negócio se expandir nas décadas seguintes nos mercados de imóveis corporativos, residenciais e multiuso. A empresa também é do Centro Empresarial Senado, no Rio de Janeiro, e do WTorre Plaza, em São Paulo.

Engenheiro e empresário, Walter Torre tinha 64 anos, quando sofreu a parada cardíaca que lhe tirou a vida.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui