Moto diz que não pode usar patrocínio do Grupo Mateus para pagar atletas e a comissão técnica

0
1042

AQUILES EMIR

E nota distribuída nesta segunda-feira (30) sobre a polêmica criada após o jogo de domingo (29) com o Sparta do Tocantins, pela Série D do Campeonato Brasileiro, quando deveria ter sido efetuado o pagamento aos atletas de pelo menos uma das folhas em atraso (janeiro, fevereiro e março), a diretoria do Moto Club promete regularizar a situação nos próximos dias, com a quitação das folhas em aberto de fevereiro e março.

A nota foi motivada por uma postagem no blog do jornalista Zeca Soares, na qual ele relata a revolta e frustração de jogadores e da comissão técnica quando receberam apenas uma quinzena para fechar o mês de janeiro.

Diante da situação, os membros da comissão técnica entregaram seus cargos e os jogadores decidiram cruzar os braços e só voltam a treinar após receberem pelo menos parte dos salários atrasados. A revolta pode ter consequências dentro de campo, já que o time tem jogo agendado para o próximo fim de semana contra o Altos do Piauí, pela mesma Série B.

A diretoria do clube informa ainda que não pode utilizar R$ 150 mil de patrocínio recebido do Grupo Mateus, pela Lei de Incentivo ao Esporte, pagar pagar despesas do elenco profissional porque a verba foi destinada às despesas da Copa São Paulo de Futebol Júnior, realizada em janeiro.

Eis a íntegra da nota:

O recurso do projeto da Lei do Incentivo ao Esporte, da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Sedel) foi liberado junto ao clube para pagamento de despesas geradas pelo atletas da agremiação maranhense, filiada à Federação Maranhense de Futebol (FMF), da Copa São Paulo de Futebol Júnior, edição 2018.

O projeto é entitulado de Copa São Paulo Sub-20 e a Revelação de Novos Talentos Motenses. O valor global do projeto é de R$ 150 mil, mas com os descontos obrigatórios de:

  • Despesas Administrativas com Prestação de Contas (DA) (limite 9% do Total) – 9.896,40
  • Despesas com Impostos, Taxas, Contribuições e Seguros (DI) – R$ 6.360
  • Despesas de Divulgação (DD) (limite 9% do Total) – 9.300
  • Despesas de Produção, com Elaboração e Captação (DP) (limite 9% do Total) – 9.903,60
  • Contribuição Obrigatoria ao FUNESP ( 3% do Total) 4.500
  • Valor do projeto com os descontos: R$ 110.040

Este valor só pode ser descontado após apresentação de custos (notas fiscais) e programação bancária, sendo que o recurso tem que ser investido nas divisões de base do clube e não no futebol profissional, por conta da Lei de Incentivo ao Esporte, que prevê investimento no futebol amador. Além disso existem despesas a serem pagas que consta no projeto referente a viagem que o time fez para São Paulo onde a diretoria do clube arcou com o translado da equipe e alimentação durante a viagem.

Gostaríamos de ressaltar que a verba desse projeto não pode ser utilizada no futebol profissional sobe pena do clube ser processado de acordo com o que diz a lei de incentivo ao esporte.

Gostaríamos de ressaltar também que com renda do jogo pagamos a metade da folha de janeiro que estava em aberto no valor de 56.000,00 e no decorrer da semana pagaremos a folha de março.

  • Natanael Júnior
  • Presidente do Moto Club de São Luís
Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação