Navio carregado de bauxita encalha ao fazer uma manobra em maré baixa no canal de acesso ao porto da Alumar

809

Embarcação está carregada de bauxita

Na tarde deste sábado (17), o navio Forte de São Felipe encalhou quando fazia uma manobra no canal de acesso ao terminal portuário da Alumar, na Baía de São Marcos, em São Luís (MA). A embarcação pertence à empresa Elcano S.A. e está carregada com 20 mil toneladas de bauxita, matéria prima utilizada na produção de alumínio, além de água e combustível.

O navio vinha do Pará e por volta das 13h de sábado precisou mudar de berço devido a um problema no guindaste do porto. Na manobra, segundo informações iniciais, o prático teria saído da rota e acabou atolando devido à maré baixa, numa região com muitas rochas e bancos de areia.

A Capitania dos Portos do Maranhão foi acionada e enviou uma equipe ao local. Seis rebocadores foram mobilizados para desencalhar o navio, mas a tentativa não deu certo e a operação foi paralisada por falta de navegabilidade.

Um gabinete de crise com membros da Marinha, da Elcano, do Governo do Maranhão e da Alumar foi formado para acompanhar a operação de desencalhe, marcada para a maré alta, na madrugada deste domingo.

A tentativa de reflutuação aconteceu por volta de 1h30 e durou quase 3 h, mas não teve êxito.

Especialistas que acompanharam a operação acreditam que é preciso retirar a carga e esperar maior amplitude da maré – mas ainda não há horário para uma nova operação neste sentido.

A Marinha informou que não há indícios de danos estruturais ou vazamento de resíduos poluentes e os tripulantes passam bem.

Um “Aviso aos Navegantes” foi divulgado informando a posição do navio para evitar riscos à navegação na área.

A Capitania ressaltou que um inquérito administrativo será instaurado para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades pelo ocorrido.

Em nota, a Alumar disse que “embora o navio não seja controlado e operado pela ALUMAR, imediatamente após o ocorrido, o Consórcio se colocou à disposição para apoiar a Praticagem, o Armador do Navio responsável e as Autoridades competentes. Foram acionados, preventivamente, o Plano de Emergência Individual (PEI) e o Plano de Ajuda Mútua (PAM)”.

(Com informações do site do Jornal BE News)

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui