Maranhão tem menor percentual de trabalhadores com carteira assinada, segundo o IBGE

0
425

Estado tem ainda segundo maior índice de informalidade 

O Maranhão é o estado como menor percentual de trabalhadores com carteira assinada, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) sobre o primeiro trimestre deste ano, divulgada, nesta sexta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estado tem ainda o segundo maior percentual de informalidade à frente apenas do Pará.

No primeiro trimestre deste ano, segundo o IBGE, 74,1% dos empregados do setor privado tinham carteira de trabalho assinada. As regiões Norte (59,9%) e Nordeste (56,9%) apresentaram as menores taxas.

Entre os trabalhadores domésticos, 25,0% tinham carteira de trabalho assinada no país.

Dentre as unidades da Federação, os maiores percentuais de empregados com carteira assinada no setor privado estavam em Santa Catarina (88,2%), São Paulo (82,4%), Rio Grande do Sul (81,1%) e os menores no Maranhão (47,3%), Pará (51,3%) e Piauí (51,4%).

Percentual de empregados COM carteira
entre os empregados do setor privado, por UFs (%) – primeiro trimestre 2022

UFValor
Maranhão47,3
Pará51,3
Piauí51,4
Paraíba55,6
Bahia55,9
Sergipe55,9
Ceará56,2
Tocantins59,9
Alagoas61,6
Pernambuco62,8
Acre64,9
Rio Grande do Norte65,6
Amazonas69,0
Roraima69,1
Rondônia71,0
Goiás71,9
Amapá72,4
Brasil74,1
Minas Gerais74,3
Espírito Santo74,6
Mato Grosso do Sul76,7
Rio de Janeiro77,0
Distrito Federal77,6
Mato Grosso78,8
Paraná81,0
Rio Grande do Sul81,1
São Paulo82,4
Santa Catarina88,2
Informalidade – A taxa de informalidade no período ficou em 40,1% da população ocupada. As maiores taxas ficaram com Pará (62,9%), Maranhão (59,7%) e Amazonas (58,1%) e as menores, com Santa Catarina (27,7%), Distrito Federal (30,3%) e São Paulo (30,5%).

Para o cálculo da proxy de taxa de informalidade da população ocupada são consideradas as seguintes populações: Empregado no setor privado sem carteira de trabalho assinada; Empregado doméstico sem carteira de trabalho assinada; Empregador sem registro no CNPJ; Trabalhador por conta própria sem registro no CNPJ; Trabalhador familiar auxiliar.

Taxa de informalidade da população ocupada,
por UFs (%) – primeiro trimestre de 2022

UFValor
Pará62,9
Maranhão59,7
Amazonas58,1
Piauí56,8
Bahia54,7
Sergipe53,6
Ceará53,3
Paraíba53,1
Pernambuco52,8
Rondônia48,1
Acre47,2
Alagoas46,9
Amapá46,3
Roraima45,2
Rio Grande do Norte44,7
Tocantins43,7
Brasil40,1
Goiás39,8
Espírito Santo39,2
Minas Gerais39,0
Mato Grosso37,7
Rio de Janeiro37,5
Mato Grosso do Sul35,4
Rio Grande do Sul32,8
Paraná32,1
São Paulo30,5
Distrito Federal30,3
Santa Catarina27,7
Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação