Morre em São Paulo de parada cardíaca empresário Walter Torre da WTorre, sócia do Porto São Luís

0
897

Empresário foi responsável também construção do estádio do Palmeiras

Morreu nesta sexta-feira (11), aos 64 anos, de parada cardiorrespiratória, em São Paulo, o empresário Walter Torre Júnior. Ele era bastante conhecido por ser o dono da WTorre, construtora responsável pela reforma e administração do Allianz Parque, estádio do Palmeiras, em São Paulo, e pelo empreendimento do Porto São Luís, na capital maranhense, em sociedade com a empresa chinesa CCCC.

Confira a nota na íntegra da WTorre sobre o falecimento do empresário:

NOTA DE FALECIMENTO

É com imenso pesar que a família WTorre vem a público informar o falecimento de Walter Torre, fundador da empresa, na tarde de hoje, 11 de dezembro. Aos 64 anos, ele foi vítima de uma parada cardiorrespiratória.

Foi em 1981 que Walter, então recém formado em engenharia civil, deu início a um sonho ao abrir sua construtora e nunca mais parou. Seu legado profissional é imensurável, tendo entre outras realizações a construção do Allianz Parque em 2014, uma das melhores arenas multiuso do mundo, a única do Brasil.

Walter Torre deixa sua esposa Silvia Torre e filhos Paulo, Marina e Giuliana, além de uma equipe de executivos e colaboradores apaixonados que seguramente honrarão seu legado pautado na inovação, ética e profissionalismo, principais alicerces da WTorre.

Porto São Luís – O Porto São Luís será um terminal de uso privado localizado na cidade de São Luís (MA). A primeira fase da obra foi orçada em R$ 800 milhões, com previsão de conclusão em quatro anos e geração estimada de quatro mil empregos diretos.

O porto deverá ter capacidade de movimentação de cerca de dez milhões de toneladas por ano, distribuídos em sete milhões de soja e milho, 1,5 milhão de fertilizantes, 1,5 milhão de carga geral e 1, 8 milhão de metros cúbicos de derivados de petróleo.

A área compreendida pelo terminal será de 200 hectares, com a construção de seis berços (quatro na primeira fase de construção e dois na segunda). Haverá também ponte de acesso, acesso rodoferroviário e pera ferroviária.

O escoamento da produção pelo Porto São Luís deverá beneficiar sete estados brasileiros, por meio da integração com as ferrovias Carajás e Norte-Sul. A localização do porto, próximo aos mercados consumidores da Europa d Estados Unidos e do Canal do Panamá também influenciou na decisão.

Da participação total no empreendimento, 51% pertence à China Communications Construction Company (CCCC), maior empresa de infraestrutura do país asiático; 20 % pertence à Lyon Capital detém 20%; 24% é da WPR Participações, do grupo aWTorre. Os outros 6% são de acionistas minoritários.

Em 16 de março de 2018 foi lançada oficialmente a pedra fundamental do Porto São Luís, na capital maranhense. 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação