Maranhão tem o segundo maior custo da construção civil no Nordeste

0
947

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) subiu 0,48% em novembro, ficando 0,32 ponto percentual acima dos 0,16% de outubro. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (08) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e indicam que com a alta de novembro os custos da construção fecharam o mês com um resultado acumulado no ano de 3,64%, em relação ao mesmo período de 2016.

Segundo o IBGE, essa foi a segunda maior taxa do ano, atrás apenas dos 0,58% de julho. Já o acumulado nos últimos 12 meses ficou em 4,15%, acima dos 3,75% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em novembro do ano passado o índice foi 0,1%.

Com a alta de novembro, o custo nacional do metro quadrado na construção passou de R$ 1.059,68, para R$ 1.064,76, sendo R$ 544,19 relativos aos materiais e R$ 520,57 à mão de obra.

A parcela dos materiais de construção apresentou a maior variação observada no ano (0,67%), subindo 0,47 ponto percentual em relação à taxa do mês de outubro (0,2%). Em relação à taxa negativa registrada em novembro do ano passado (0,06%), a alta foi ainda mais significativa, de  0,73 ponto percentual. Neste caso, a variação da parcela da mão de obra foi de 0,28%, superior à do mês anterior (0,12%). Já em relação a novembro de 2016, o índice se manteve estável (0,27%).

Centro-Oeste – Em novembro, pelo segundo mês consecutivo, a Região Centro-Oeste apresentou a maior variação regional, devido novamente à alta na parcela dos materiais nos três estados, além da variação captada na mão de obra em Mato Grosso, consequência de reajuste salarial de 0,94% decorrente do acordo coletivo da categoria.

No mês, todas as regiões apresentaram índices positivos: 0,34% (Norte), 0,51% (Nordeste), 0,47% (Sudeste) e 0,2% (Sul). Os custos regionais, por metro quadrado, foram de R$ 1.066,13 (Norte); R$ 988,82 (Nordeste); R$ 1.110,09 (Sudeste); R$ 1.103,97 (Sul) e R$ 1.081,84 (Centro-Oeste).

Veja o custo da Construção Civil em todos os estados:
Considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil

ÁREAS GEOGRÁFICASCUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2JUN/94=100MENSALNO ANO12 MESES
BRASIL            1.064,76533,000,483,644,15
REGIÃO NORTE      1.066,13531,220,342,622,84
Rondônia1.108,42617,980,524,013,37
Acre1.171,82621,990,153,954,06
Amazonas1.032,67505,600,234,894,70
Roraima1.112,09461,860,192,372,38
Para1.048,23502,440,470,610,84
Amapá1.053,41511,700,133,673,44
Tocantins1.124,83591,460,244,066,80
NORDESTE  988,82534,120,514,234,55
Maranhão          1.015,31534,840,194,644,59
Piauí1.013,77673,690,422,595,77
Ceará990,83572,260,463,844,27
Rio Grande do Norte941,56474,590,173,576,74
Paraíba1.034,83572,20-0,034,044,11
Pernambuco971,01519,161,313,824,24
Alagoas987,52493,450,574,624,82
Sergipe931,68495,190,653,053,06
Bahia984,43521,060,445,054,52
SUDESTE    1.110,09531,330,473,403,58
Minas Gerais1.000,83550,800,084,374,56
Espírito Santo968,82537,350,312,463,69
Rio de Janeiro1.190,83542,720,213,734,08
São Paulo1.154,80521,670,792,832,87
SUL        1.103,97527,950,203,395,55
Paraná1.077,96515,550,131,996,56
Santa Catarina1.198,79649,400,195,786,05
Rio Grande do Sul1.056,26479,500,323,283,35
CENTRO-OESTE1.081,84552,350,944,254,73
Mato Grosso do Sul1.063,16499,880,664,534,96
Mato Grosso1.079,28615,781,713,232,79
Goiás1.067,30563,780,474,945,00
Distrito Federal1.118,40493,850,774,406,72

 

Não considerando a desoneração da folha de pagamento 

ÁREAS GEOGRÁFICASCUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2JUN/94=100MENSALNO ANO12 MESES
BRASIL            1.144,79572,760,463,714,26
NORTE      1.140,92568,470,312,813,03
Rondônia1.184,75660,510,494,023,42
Acre1.253,29665,100,144,024,11
Amazonas1.104,33540,900,215,124,94
Roraima1.197,52497,340,182,502,47
Pará1.122,23537,710,440,740,95
Amapá1.125,28546,430,103,943,72
Tocantins1.203,15632,500,224,287,25
NORDESTE  1.058,91571,900,504,284,64
Maranhão          1.085,77572,190,184,774,74
Piauí1.081,53718,610,382,425,93
Ceará1.058,16610,860,433,764,15
Rio Grande do Norte1.005,65506,800,173,396,87
Paraíba1.106,67612,10-0,034,214,27
Pernambuco1.041,04556,351,353,954,34
Alagoas1.055,44527,380,534,634,81
Sergipe997,41530,180,613,183,19
Bahia1.058,03559,650,415,154,65
SUDESTE    1.198,15573,320,443,483,67
Minas Gerais1.074,55591,250,074,564,74
Espirito Santo1.042,37578,270,272,553,83
Rio de Janeiro1.288,73587,580,203,774,10
São Paulo1.248,70564,040,742,882,95
SUL        1.191,33569,600,183,465,83
Parana1.166,61557,820,122,107,05
Santa Catarina1.296,90702,320,165,876,29
Rio Grande do Sul1.131,10513,580,313,383,44
CENTRO-OESTE1157,68590,960,964,314,83
Mato Grosso do Sul1.135,98533,770,624,615,01
Mato Grosso1.156,95660,031,863,272,86
Goias1.141,82602,740,445,065,13
Distrito Federal1.195,72528,220,724,436,92

NOTA: estes resultados são calculados mensalmente pelo IBGE através de convênio com a CAIXA – Caixa Econômica Federal.

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação