Custo da Construção Civil no Maranhão chega a R$1.021 o metro quadrado

0
1757

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentou variação de 0,30% em fevereiro, ficando 0,03 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de janeiro. O acumulado nos últimos 12 meses ficou em 3,82%, resultado acima dos 3,71% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em fevereiro de 2017, o índice foi 0,19%.

No Maranhão, de acordo com o levantamento, o custo médio do metro quadrado, levando-se em conta a desoneração da folha de pagamento, ficou R$ 1.021,67, enquanto não levando em conta a desoneração, R$ 1.092,13.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em janeiro estava em R$ 1.069,61, passou em fevereiro para R$ 1.072,87, sendo R$ 550,66 relativos aos materiais e R$ 522,21 à mão de obra. A parcela dos materiais apresentou variação de 0,54%, subindo 0,04 ponto percentual em relação a janeiro e 0,17 frente a fevereiro de 2017.

O valor da mão de obra, por sua vez, apresentou variação de 0,06%, apresentando estabilidade tanto em relação ao mês anterior (0,04%) quanto a fevereiro de 2017 (0,00%). Os acumulados no ano foram de 1,04% no custo de materiais e de 0,10% no de mão de obra. Já nos acumulados em doze meses, os resultados ficaram em 3,15% (materiais) e 4,61% (mão de obra).

Nordeste  – Com alta na parcela dos materiais em 8 estados, e com a variação captada na mão de obra no Piauí, consequência de reajuste salarial de acordo coletivo, a região Nordeste apresentou a maior variação regional em fevereiro, 0,44%.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,17% (Norte), 0,22% (Sudeste), 0,35% (Sul) e 0,31% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.068,69 (Norte); R$ 999,04 (Nordeste); R$ 1.119,40 (Sudeste); R$ 1.110,72 (Sul) e R$ 1.085,08 (Centro-Oeste).

O Piauí registrou maior alta entre os estados, decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, Piauí, com 1,63%, foi o estado que apresentou a maior variação mensal.

Confira o custo da construção civil não considerando a desoneração da folha de pagamento:

ÁREAS

GEOGRÁFICA

CUSTO
MÉDIO
ÍNDICESVARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES   
BRASIL              1153,22576,950,290,553,88
REGIÃO NORTE       1143,46569,780,160,271,77
Rondonia1188,67662,690,120,124,09
Acre1255,34666,23-0,13-0,114,34
Amazonas1105,38541,440,000,231,11
Roraima1200,03498,380,160,262,43
Para1125,14539,100,320,321,04
Amapa1135,90551,580,130,901,16
Tocantins1199,79630,790,06-0,013,11
NORDESTE    1069,76577,750,440,704,50
Maranhão           1092,13575,520,380,504,83
Piaui1104,27733,751,692,114,15
Ceara1071,52618,580,961,014,55
Rio Grande do Norte1054,73531,520,022,217,67
Paraiba1111,04614,550,080,144,40
Pernambuco1051,35561,870,450,442,48
Alagoas1062,91531,130,390,705,53
Sergipe998,79530,87-0,15-0,172,75
Bahia1063,49562,510,170,465,06
SUDESTE     1207,85577,980,210,633,88
Minas Gerais1075,59591,840,090,184,52
Espirito Santo1052,85584,070,400,763,19
Rio de Janeiro1294,07590,05-0,020,224,31
São Paulo1265,24571,510,341,013,43
SUL         1197,84572,680,310,443,68
Parana1171,54560,170,110,392,32
Santa Catarina1305,63707,100,530,475,80
Rio Grande do Sul1138,10516,770,400,503,92
CENTRO-OESTE1161,06592,670,290,184,44
Mato Grosso do Sul1132,44532,060,12-0,044,04
Mato Grosso1149,86656,01-0,18-0,602,62
Goias1150,99607,570,620,625,42
Distrito Federal1209,77534,420,580,765,77

 

 

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação