Índice Nacional da Construção Civil varia 0,30% em maio

0
591

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE, apresentou variação de 0,30% em maio, ficando 0,15 ponto percentual acima da taxa do mês anterior (0,15%). Os últimos 12 meses ficaram em 4,52%, resultado abaixo dos 5,07% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2016 o índice foi 0,83%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em abril fechou em R$ 1.039,54, em maio subiu para R$ 1.042,69, sendo R$ 536,24 relativos aos materiais e R$ 506,45 à mão de obra.

A parcela dos materiais teve variação de 0,34%, subindo 0,30 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,04%). Já a parcela da mão de obra apresentou variação de 0,26%, resultado bem próximo da taxa registrada no mês anterior (0,28%).

De janeiro a maio, os acumulados são 0,95% (materiais) e 2,09% (mão de obra), sendo que em doze meses ficaram em 1,62% (materiais) e 7,79% (mão de obra).

A Região Nordeste, com 0,78%, ficou com a maior variação regional em maio. Nas demais regiões os resultados foram: -0,12% (Norte), 0,18% (Sudeste), 0,10% (Sul) e 0,05% (Centro-Oeste). Os custos regionais, por metro quadrado, foram para: R$ 1.051,14 (Norte); R$ 972,25 (Nordeste); R$ 1.088,12 (Sudeste); R$ 1.075,55 (Sul) e R$ 1.042,77 (Centro-Oeste).

Decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, a Bahia, com 2,31%, foi o estado com a mais elevada variação mensal. A seguir veio Sergipe, com 2,03%, também sob impacto de reajuste definido na convenção coletiva.

 

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Maio/2017 considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil

ÁREAS GEOGRÁFICASCUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2JUN/94=100MENSALNO ANO12 MESES
BRASIL             1042,69521,950,301,494,52
REGIÃO NORTE       1051,14523,75-0,121,183,70
Rondonia1065,28593,86-0,30-0,05-0,70
Acre1125,34597,38-0,32-0,164,03
Amazonas1028,43503,44-0,164,443,85
Roraima1094,86454,710,050,785,46
Para1034,86496,01-0,25-0,683,38
Amapa1052,96511,450,273,624,90
Tocantins1109,08583,160,632,606,75
REGIÃO NORDESTE    972,25525,240,782,494,90
Maranhão           1007,76530,860,453,866,87
Piaui1002,66666,280,251,464,43
Ceara957,14552,75-0,010,304,32
Rio Grande do Norte927,75467,680,372,075,87
Paraiba1025,05566,810,353,066,01
Pernambuco955,41510,82-0,182,155,06
Alagoas952,58476,050,140,935,14
Sergipe928,81493,662,032,743,09
Bahia971,74514,292,313,693,93
REGIÃO SUDESTE     1088,12520,840,181,364,23
Minas Gerais992,96546,480,373,554,21
Espirito Santo951,62527,80-0,020,645,80
Rio de Janeiro1147,98523,20-0,040,005,09
São Paulo1132,29511,470,180,823,79
REGIÃO SUL         1075,55514,360,100,735,26
Parana1058,79506,38-0,130,184,53
Santa Catarina1149,09622,500,251,407,00
Rio Grande do Sul1032,82468,870,340,994,72
REGIÃO CENTRO-OESTE1042,77532,360,050,484,40
Mato Grosso do Sul1023,64481,320,240,650,73
Mato Grosso1047,47597,63-0,230,196,08
Goias1025,52541,650,140,824,80
Distrito Federal1073,72474,190,160,254,16

FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação