Mulheres inscritas nos cursos do Senai no Caravana pra Elas, iniciam aulas este mês

0
152

Senai e Sesi realizaram, juntos, 1.181 atendimentos

As mais de 200 mulheres pré-matriculadas nos cursos de qualificação profissional oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) durante a Caravana pra Elas, realizada no último sábado (06), em São Luís, já começam a receber suas aulas este mês. São 14 cursos gratuitos na área industrial foram colocados à disposição do público feminino vulnerável na ação promovida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA), que contou com o apoio das entidades do Sistema Federação das Indústrias (Fiema) e outras instituições.

No total, só o Senai e o Serviço Social da Indústria (Sesi) realizaram, juntos, 1.181 atendimentos, entre serviços médicos odontológicos, oftalmológicos, consultas médicas, oficinas de alimentação saudável do SESI e palestras, cursos e oficinas do Senai.

“Primeiro é preciso aprender para empreender e um projeto desse é muito importante para identificar e dar amplitude ao potencial da mulher maranhense empreendedora. E é para isso que o SENAI está embarcado nessa caravana junto com o Sebrae, levando qualificação profissional, palestras e oficinas para as mulheres que querem empreender, também, no setor industrial”, afirmou o diretor regional do Senai, Raimundo Arruda, que acompanhou o evento no sábado.

Ao todo, 265 mulheres se inscreveram para os cursos nas áreas de vestuário, alimentos e construção civil, e serão distribuídas nas turmas depois que o SENAI fizer contato para efetivar a pré-matrícula realizada durante a ação social. Elas serão capacitadas nos cursos de Reforma e Ajuste de Roupas; Costureiro Industrial do Vestuário; Lingerie Underwear; Costureiro de Máquinas Retas e Overloque; Design Sustentável; Eco Moda; Produção de Massas, Doces, Semi doces e Salgados; Salgadeiro; Pintor de Obras Imobiliárias (EAD); Eletricista de Instalações Residencial; Confeiteiro; Produção de Tortas, Doces e Sobremesa; Padeiro; Doces e Salgados.

A empresária, Wilma Cavalcanti, dona de um negócio no município da Raposa, resolveu participar da programação do SENAI na caravana, para agregar mais competitividade à sua empresa.  “Estou aproveitando essa oportunidade, essas palestras de grande rendimento pessoal, já que eu tenho interesse nisso, é um conhecimento a mais, além da troca de experiências. É de grande importância a iniciativa dessas instituições, que, juntas, estão colaborando para essas mulheres alcançarem o crescimento não só pessoal como profissional, agregando valor ao seu trabalho e até uma ajuda na sua família, financeiramente. É a mulher dando o seu grito de liberdade”.

Atendimentos – O Sesi contabilizou 682 atendimentos entre serviços médicos e de alimentação e nutrição, durante todo o sábado, na Caravana pra Elas. “O SESI está disponibilizando todos os seus serviços da área de saúde e promoção da saúde e, também, uma pequena mostra do Cozinha Empreendedora, que é um curso preparado para desenvolver o empreendedorismo feminino no ramo da alimentação saudável. São todas essas iniciativas que nós trouxemos para somar nesse grande evento em parceria com Sebrae, que é o Caravana pra Elas”, destacou a coordenadora de Saúde e Segurança na Indústria do órgão, Ana Carolina Bandeira.

No evento, foram realizados atendimentos de aferição de pressão, consulta com o médico ocupacional, consulta com oftalmologista, exames de refração ocular, consulta com dentista, profilaxia com tartarectomia, além de oficinas de alimentação sustentável. Todas as mulheres que participaram do evento foram atendidas nas unidades móveis de Saúde Ocupacional, Odontologia, Alimentação e Nutrição e de Oftalmologia do Sesi.

“Vocês estão todas e todos de parabéns. A equipe Sesi está sabendo atender a população, isso que é importante. Porque a gente vem das nossas casas, acorda cedo pra pegar o ônibus, pra chegar até aqui; se a gente for mal atendido, aí não dá certo. Mas chegamos aqui, encontramos todo mundo sorridente e tratando todo mundo muito bem, como deve ser. Gente sendo tratado como gente”, elogiou a pedagoga Leda Maria Costa Rego, 52 anos, que foi atendida na unidade móvel de Oftalmologia.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação