Vendas no comércio do Maranhão aumentaram 3,8 % em julho, segundo levantamento do IBGE

0
229

São três meses consecutivos de elevação das vendas

As vendas no comércio do Maranhão, em julho, na comparação com junho, com ajuste sazonal, o índice de volume de vendas ficou na casa de 3,8%, número esse menor do que o ocorrido no mês anterior: 29,6%, segundo números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quinta-feira (10). Já são três meses consecutivos de elevação no volume de vendas no Maranhão, depois de três meses de queda: fevereiro (-0,6%), março (-5,6%) e abril (-13,0%).

As duas Unidades da Federação (UFs) que apresentaram os maiores aumentos nessa base comparativa temporal no mês de julho foram Amapá (34,0%) e Paraíba (19,6%). Seis tiveram redução no volume de vendas nessa base de comparação temporal, sendo que as maiores quedas foram detectadas no Paraná (-1,6%) e Tocantins (-5,6%).

Em relação a julho de 2019, sem ajuste sazonal, foi detectado avanço no volume de vendas de 21,3%. Dentre todas as 27 UFs, o Maranhão teve a segunda melhor performance, sendo superado somente pelo Pará (23,5%). É o segundo mês consecutivo de aumento nessa base de comparação temporal, depois de três meses de recuo: março (-5,0%), abril (-18,4%) e maio (-13,5%). No mês de junho/2020, a elevação no volume de vendas foi de 14,4%.

Na base comparativa no ano, isto é, o volume de vendas de janeiro a julho de 2020 em relação ao mesmo período de 2019, o Maranhão voltou a apresentar uma taxa positiva no volume de vendas, 0,6%, depois de três meses consecutivos de decréscimo.

Os números atinentes ao volume de vendas nos meses de junho e julho, em comparação ao mês imediatamente anterior, conforme vistos acima, bem como os números positivos na base comparativa mês/mês igual ao ano anterior, segundo tabela acima, acabaram por reverter o recuo no volume de vendas na base temporal em que se leva em consideração os meses acumulados no ano de 2020 em relação aos meses acumulados no ano de 2019. Até junho de 2020, o acumulado no ano era de -3,0%. Santa Catarina tem o mais elevado percentual nessa base de comparação: 3,2%. O Ceará tem a retração mais elevada: -13,6%.

Quanto ao acumulado nos últimos 12 meses (agosto de 2019 a julho de 2020 cotejado com agosto de 2018 a julho de 2019), o índice de volume de vendas no Maranhão teve alta de 0,5%. No mês findo em junho de 2020, o acumulado dos últimos 12 meses estava em -1,2%. O gráfico abaixo ilustra o comportamento do volume de vendas acumulado para cada um dos doze últimos meses, no Maranhão.

Das 27 UFs, 14 têm apresentado taxas negativas, sendo que a UF com maior decréscimo percentual no volume de vendas nos últimos 12 meses é o CE (-8,4%).

Variação mensal em 2020 (base: igual mês do ano anterior)

  • janeiro (2,6)
  • fevereiro (2,6)
  • março (-5,0)
  • abril (-18,4)
  • maio (-13,5)
  • junho (14,4)
  • julho (21,3)

Varejo ampliado – No Maranhão, na comparação de julho com junho, o volume de vendas do comércio varejista ampliado apresentou um aumento no volume de vendas na ordem de 5,3%, taxa essa menor que a ocorrida no mês anterior, que foi de 34,5%. Foi o terceiro mês consecutivo de aumento, pois, em maio/2020, houve elevação de 7,4%. Essas taxas positivas foram antecedidas por dois meses de taxas negativas: em março (-16,9%) e abril (-8,0%).

Nesse indicador de base temporal, a UF com maior taxa de elevação no volume de vendas foi Amapá (35,0%). As UFs com taxas negativas foram: Piauí (-0,1%) e Mato Grosso do Sul (-0,7%).

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, entre julho de 2020 e de 2019, no Maranhão foi detectada elevação no volume de vendas, 19,7%. No mês anterior, junho/2020, já tinha havido uma reversão de taxas negativas, com aumento no volume de vendas na ordem de 14,2%. Essa ocorrência do mês de julho colocou o Maranhão com a 4ª melhor performance dentre as 27 UFS. A UF com maior percentual de avanço no volume de vendas nessa base de comparação temporal foi AM (21,5%). Em oito UFs houve comportamento retracionista, sendo que a maior retração foi observada na BA (-9,1%).

Na base de comparação em que se leva em conta o ano de 2020 (janeiro a julho) com igual período do ano anterior, tem-se um quadro de decréscimo no volume de vendas no Maranhão, na casa de 3,2%. Em função do aumento do volume de vendas tanto na base de comparação temporal mês/mês imediatamente anterior quanto na base temporal mês/mês igual do ano anterior, esse recuo de 3,2% foi menor do que o acumulado até junho de 2020, quando se observou uma retração no volume de vendas do comércio varejista ampliado na casa de 7,2%. Das 27 UFs, apenas TO (+4,9%) e PA (+1,4%) apresentaram expansão no volume de venda nessa base de comparação no tempo. 

No acumulado dos últimos 12 meses (agosto de 2019 a julho de 2020 comparado com agosto de 2018 a julho de 2019), o recuo, no Maranhão, foi de 2,1%. Quedas mais significativas foram observadas em SE (-7,0%) e PI (-7,7%).  

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação