Nordeste foi a região que registrou maior número de embarques aéreos em 2017

0
565

A presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), Magda Nassar, anunciou nesta quinta-feira (22) o lançamento da sétima edição do Anuário Braztoa 2018, estudo com dados inéditos do segmento das operadoras de turismo no país, mostrando, em números, o impacto do contexto econômico nacional e internacional no segmento de viagens de lazer e no comportamento do turista.

O segmento de operadoras de turismo faturou R$ 12,22 bilhões em 2017, um crescimento de 8% em relação a 2016. “Esta é uma grande vitória e mostra o olhar atento e o esforço contínuo dos nossos associados em oferecerem ao mercado produtos cada vez mais exclusivos e conectados com os diferentes perfis de viajantes. Essas operadoras investem não só em novos produtos, mas em tecnologia, gestão e capacitação de seus colaboradores e da sua rede de distribuição, o que se reflete na qualidade dos roteiros ofertados”, comemora Magda Nassar, presidente da BBraztoa.

Outro destaque que traz o Anuário está na demanda de embarques de passageiros embarcados para destinos nacionais. Em viagens dentro do Brasil, o setor cresceu, desta vez 4% em embarques e 2% em faturamento.

A região do Brasil que mais concentrou embarques em 2017 foi o Nordeste, com 2,7 milhões de passageiros embarcados (2016: 2,69 milhões), seguido pela Região Sudeste (2017: 652 mil x 2016: 598 mil); Sul (2017: 650 mil x 2016: 595 mil); Norte + Centro Oeste (2017: 318 mil x 2016: 281 mil). No total, 4,3 milhões de brasileiros embarcaram para destinos nacionais em 2017, contra 4,1 milhões em 2016.

De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), o impacto econômico do turismo é de 10% do PIB mundial e supera muitos setores tradicionais como química (8,6%), agricultura (8,5%), educação (8,4%) e bancos (5,9%) (WTTC). Para a presidente da Braztoa, é importante frisar que o turismo no Brasil movimenta 52 setores da economia, impactando mais 60 segmentos.

“Os viajantes consomem inúmeros produtos e serviços nas cidades que visitam e contribuem para os negócios locais, com a geração de impostos que aumenta as receitas de municípios, estados e países e proporciona investimentos em educação, saúde, segurança e infraestrutura, entre outros”, disse Magda Nassar.

Sobre a  Braztoa – A Braztoa reúne operadoras de turismo, colaboradoras e empresas de representação de produtos e destinos, além de convidados, responsáveis por estimados 90% das viagens organizadas de lazer, comercializados pela cadeia produtiva no Brasil.

Em 2016, as operadoras associadas à Braztoa faturaram R$ 11,3 bilhões e embarcaram mais de cinco milhões de passageiros durante todo o ano. Essas mesmas empresas geraram um impacto econômico de R$ 10,6 bilhões para a economia nacional, neste mesmo período (quantia que contempla a soma do valor dos pacotes comercializados para destinos nacionais, com o gasto médio diário com extras do turista nos destinos).

Entidade de vanguarda e sem fins lucrativos, a Braztoa promove ações e parcerias que valorizam as atividades empresariais dos associados, apoiando o desenvolvimento do mercado turístico de forma sustentável.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação