Palestino morre em confronto com forças israelenses na Cisjordânia

0
726

Um jovem palestino foi morto em um confronto com as forças de segurança israelenses na Cisjordânia neste sábado (22), o segundo dia de tensão neste local e em Jerusalém Oriental em protesto pelo reforço dos controles de Israel no acesso à Esplanada das Mesquitas.

O morto, identificado como Yusef Kashur, de 19 anos, foi ferido com uma bala no peito no povoado cisjordaniano de Al Eizariya. A vítima foi transferida ao hospital da cidade de Jericó, onde morreu, segundo informaram fontes médicas à Agência Efe.

O incidente aconteceu após uma onda de violência na região, que seguiu os confrontos de ontem, nos quais três palestinos morreram, 450 ficaram feridos e quatro policiais israelenses também. Durante a noite, um palestino assassinou a facadas três membros de uma família judia no assentamento de Halamish, na Cisjordânia.

Este clima de tensão se insere no cenário de protestos muçulmanos contra as novas medidas de segurança e restrições impostas por Israel em torno da Esplanada das Mesquitas, após o ataque cometido no dia 14 por três árabes-israelenses, que assassinaram dois policiais israelenses, antes de serem abatidos pelas forças de segurança.

Contratos – O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, anunciou hoje (21) em um discurso na televisão que suspenderá todas as suas comunicações com Israel até que as autoridades israelenses retirem os detectores de metal instalados no entorno da Esplanada das Mesquitas de Jerusalém. As informações são da EFE.

“Rejeitamos os detectores eletrônicos. Jerusalém é a capital da Palestina”, disse Abbas, que fez um pedido à ONU para que proteja o povo palestino e outro pedido ao movimento islamita Hamas (que controla a faixa de Gaza) para que apoie seu governo. Ele pediu ao Hamas que devolva o controle de Gaza à ANP e possibilite a realização de eleições presidenciais e parlamentares

O cancelamento dos contatos da ANP com os israelenses poderia incluir a coordenação em matéria de segurança, que a ANP mantém com Israel em virtude dos Acordos de Oslo de 1993-1995. O anúncio do presidente palestino acontece um dia após o líder politico do Hamas, Ismail Haniya, exigir o fim da coordenação de segurança com Israel.

(Agência EFE)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação