De olho nas vendas para o Dia das Mães, comércio abre neste domingo

0
1283

AQUILES EMIR

O comércio de São Luís terá seu horário de funcionamento estendido neste domingo (13) em que se comemora o Dia das Mães. A informação é da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), segundo a qual os estabelecimentos de rua abrirão das 8h às 14h, enquanto as de shopping centers funcionarão das 14h às 20h, o que vai facilitar a vida de quem, por algum motivo, não fez suas compras antecipadamente.

Vale ressaltar que para abrir sua loja, o comerciante precisa estar atento ao acordo coletivo de trabalho celebrado entre patrões e empregados, que prevê hora extra dobrada, além de gratificação, paga em espécie ao final do expediente.

De acordo com a pesquisa de intenção de consumo da Federação do Comércio, os estabelecimentos mais procurados devem ser os de shopping centers e galerias, já que houve uma queda dos que pretendem frequentar lojas da Rua Grande, que passa por obras de requalificação.

“As obras de requalificação da infraestrutura da principal via de comércio da capital têm gerado dificuldade para o trânsito dos consumidores na área, especialmente os que dependem do transporte público, o que gerou uma migração, pelo menos temporária, desses consumidores para outras áreas de comércio”, explicou José Arteiro, presidente da Fecomércio.

Pelo levantamento da Federação, a preferência pelas lojas galerias comerciais e lojas de bairro foi manifestada por 44,7% dos entrevistados, enquanto as de Shopping Center foram apontadas por 40,1%.

No que diz respeito aos produtos preferidos para presentes, os itens mais indicados são vestuários, sapatos e bolsas.

Pagamento – A compra à vista mantém-se como a preferência dos consumidores com a indicação de 60,8% dos entrevistados por essa modalidade de pagamento, seja com dinheiro em espécie ou utilizando o cartão de débito. Apesar disso, a tendência pelo pagamento à vista apresentou uma queda de 19,5% em relação ao ano passado.

A preferência pelo uso do cartão de crédito este ano cresceu 61,8%. De acordo com a pesquisa, o aumento destacável no nível de gastos em relação ao ano passado cria a necessidade do consumidor se utilizar dessa modalidade de financiamento para parcelar as dívidas e acomodá-las no orçamento familiar atual, fato que explica o aumento do uso dessa forma de pagamento em comparação a 2017.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação