Para Ciro Gomes, ex-presidente Lula é “uma roupa velha que não nos serve mais”

1
590

Ciro Gomes diz que o PT é o principal culpado da eleição de Lula

O ex-governador do Ceará e ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PDT), provável candidato à Presidência da República em 2022, em entrevista a José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes, criticou nesta sexta-feira (16) a decisão do Supremo Tribunal Federal que manteve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a quem chamou de “roupa velha que não nos serve mais” elegível. Para ele, ao STF “cabe a última palavra e é preciso respeitá-la”, mas ninguém é “obrigado a admirá-la”.

Por 8 votos a 3, o Plenário da Corte rejeitou nesta quinta-freira (15) o recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) que buscava reverter a decisão do ministro Edson Fachin que anulou as condenações de Lula na Operação Lava Jato. A determinação é referente aos casos do tríplex do Guarujá, do sítio de Atibaia e do Instituto Lula.

“Ao Supremo cabe a última palavra. Temos que ter respeito, acatamento. Isso dito, não somos obrigados a admirar todas as decisões que os ministros tomam. Nesse caso, tudo foi feito errado. Em 2015, 2016, 2017, 2018 eu tentei avisar muitas vezes que o comportamento do então juiz Sergio Moro estava semeando nulidades”.

Ciro disse ainda que não é adivinho, mas dava para saber que Moro cometeu falhas. “Agora estamos falando de condenações que levaram Lula a 580 dias de cadeia. Como o STF vai explicar que essa decisão é ‘não, não, estava tudo errado’? Só viram agora? Depois de tudo feito? Todas as coisas óbvias que aconteceram?”, questionou.

Ele mencinou ainda que o ex-ministro Antônio Palocci, braço direito do Lula, devolveu R$ 100 milhões após delação premiada. “O Sergio Machado também devolveu milhões. Geddel, Eduardo Cunha… Não é possível que a população seja insultada em sua dignidade com essa sensação desagradável de que, se você tiver um bom advogado, a impunidade é prêmio para todo tipo de mal feito”, completou Ciro.

Questionado sobre a mais recente declaração do petista de que ele estaria colocando “a esquerda como inimiga” para “namorar a direita”, Ciro foi enfático.

“Eu quero unir o Brasil. A situação é a pior da história. Neste momento, mais da metade do povo está sem oportunidade de trabalho decente. Vivendo de bico sem garantia de vida. Pandemia, economia, um desastre geral. Infelizmente, o Lula só pensa em política. Ao só pensar em política, ele não tem critério nenhum. Faz de conta que somos um bando de imbecis, idiotas, cegos, desmemoriados, que temos que dar amém para todo tipo de contradição dele”.

Planalto articula uma blindagem a Lula - Política - Estadão
Lula e Renan Calheiros estariam se aproximando para eleição de 2022

Ainda de acordo com o pré-candidato pedetista, Lula está se aliando com todos que acusou de darem o golpe em Dilma. “Ele está agarrado com Renan Calheiros. Procurando Valdemar Costa Neto. Lula não se renova. Pode fazer o que quiser e bem entender que todo mundo bate palma. Isso corrompeu ele. Tenho estima pelo Lula, mas, para ele, o Brasil é um detalhe. O negócio dele é ele, ele, ele e ele de novo. Eu estou em outra, vou tentar propor um projeto.”

“E acredito que o lulopetismo é parte central do nosso problema. Existiria o bolsonarismo radical se não fossem as contradições do PT? É uma pergunta simples, qualquer pessoa pode pensar. Não existiria. A população votou nesse despreparado porque perdeu emprego, assistiu a uma massa de escândalos (…). Agora, para enfrentar Bolsonaro, vamos obrigar o povo a esquecer tudo isso? O passado é uma roupa que não nos serve mais.”

(Com informações da Band)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.