Pensando bem, o Bolsonarismo está ficando parecido com o Sebastianismo

148

GIRO ECONÔMICO

Bolsonaro nada diz a seus seguidores

O presidente Jair Bolsonaro é seguido por mais de 10 milhões de internautas no Twitter, mais de 15 milhões no Facebook, mais de 25,5 milhões no Instagram e outros milhões nas demais redes sociais, que podem ser, em boa parte, as mesmas pessoas.

Com esses seguidores, o presidente conversava diariamente, muitas das vezes com duas três, quatro ou mais postagens, onde rebatia acusações, emitia opiniões, comemorava conquistas e provocava adversários, porém desde domingo (30 de outubro), quando perdeu a eleição em segundo turno, essas postagens cessaram e o silêncio vez provocando muito barulho.

Neste momento, milhares desses seguidores do presidente ainda estão em acostamentos de BRs, nas portas de quarteis, em rotatórias de avenidas etc, manifestando seu inconformismo com o resultado das urnas.

Alguns fazem isso como se ainda aguardassem uma mensagem de Bolsonaro de que o resultado da eleição será revertido, na Justiça ou na marra, porém ele nada diz, apenas opinou na última quarta-feira (02) para que as rodovias não fossem obstruídas a fim de garantir o direito de ir e vir dos brasileiros.

Numa outra aparição, agradeceu votos, mas não reconheceu derrota, tampouco mencionou o nome do adversário.

Neste confuso cenário, a relação dos bolsonaristas com seu líder está parecida com a dos portugueses com o Rei Sebastião, que, mesmo morto, era aguardado para evitar que Portugal fosse integrado ao Reino da Espanha. O monarca, claro, jamais apareceu, mas centenas dele surgiram no imaginário do povo em diversas partes do Mundo, inclusive no Maranhão, onde estaria sob as águas próximas à Ilha dos Lençóis.

Bolsonaro bem que poderia dizer a seus seguidores o que já disse ao vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, a ministros do Supremo e teria admitido a auxiliares: que perdeu e não tem como questionar o resultado. Se fizesse isso, talvez muitos dos que ainda acreditam numa reversão deixariam essa loucura que hoje se assiste em diversas partes do país e a evitariam a difusão de fatos que nunca se confirmarão, tampouco se lançariam em aventuras que podem lhes custar muito caro.

Caso tenha algo diferente a dizer que o faça também.

A hora é de sensatez, e quem lidera precisa ser destemido, mas sensato também!

Saiba o que e Sebastianismo

O sebastianismo foi uma crença ou movimento profético que surgiu em Portugal em fins do século XVI como consequência do desaparecimento do rei D. Sebastião na Batalha de Alcácer-Quibir, em 1578, que gerou uma crise de sucessão em Portugal.

Acreditava-se que D. Sebastião voltaria para salvar Portugal dos problemas desencadeados pelo seu desaparecimento.

Trata-se de um messianismo adaptado às condições lusas e à cultura de Portugal e traduz uma inconformidade com a situação política vigente e uma expectativa de salvação da nação, ainda que miraculosa, através do retorno de um morto ilustre.

No Maranhão, há uma crença, especialmente na ilha dos Lençóis, no litoral do estado, de que o Rei D. Sebastião viveria nesta ilha, havendo muitas lendas em torno de sua figura, como se transformar em um touro negro encantado, com uma estrela na testa.

(Com informações do Wikipédia)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui