Pesquisa aponta apoio crescente de consumidores aos produtores diante da COVID-19

0
99

Consumidores acreditam que a tecnologia pode ser a resposta para os desafios do dia-a-dia do campo

Recente pesquisa realizada pela Cargill apontou um aumento na reputação dos produtores rurais , em virtude dos consumidores finais estarem se mostrado mais favoráveis ao trabalho desenvolvido, os apoiando em seus esforços para alimentar as pessoas em todo o mundo. O reconhecimento do consumidor em relação aos desafios e as expectativas enfrentadas pelos produtores, cresceu em meio à pandemia de COVID-19, à medida que os gargalos no processamento e transporte, principalmente no segmento de proteína, pressionou o abastecimento de alimentos em todo o mundo. Na mais recente pesquisa Feed4Thought, a Cargill revelou que quase um terço dos consumidores nos EUA, Brasil, Vietnã e Noruega renovaram seu apreço pela agropecuária.

“Grandes e pequenos produtores rurais enfrentaram pressões tremendas causadas pela interrupção da cadeia de suprimentos em função da COVID-19. E estas pressões somaram-se aos diversos desafios já enfrentados por esses produtores à medida em que eles trabalhavam para alimentar o mundo de uma maneira segura, responsável e sustentável,” afirma David Webster, presidente global da Cargill Animal Nutrition & Health. 

A Cargill revelou que 71% dos consumidores demonstraram preocupação em relação a interrupção do sistema alimentar causada pela pandemia e, que dois a cada três consumidores reconhece uma pressão crescente nos pecuaristas para que eles forneçam proteína segura e acessível desde a aparição da COVID-19. “Quando os consumidores viram prateleiras vazias nos supermercados, eles se lembraram do papel fundamental que os produtores, pecuaristas e aquicultores têm na segurança alimentar global”, afirma David

No entanto, estes novos desafios não tiraram a fé dos consumidores nos produtores. Cerca de 84% de consumidores indicaram na pesquisa que, de forma geral, eles estavam confiantes no trabalho dos produtores em atender a demanda crescente alimentar da população. Além disso, mais da metade dos consumidores entrevistados demonstraram um sentimento positivo de gratidão em relação aos produtores, e deles, um terço afirmou que suas percepções positivas aumentaram em relação a esse público antes da pandemia. Essa elevada confiança sugere que a COVID-19 pode estar agindo como um catalisador no fortalecimento do relacionamento entre os consumidores e os produtores. 

Com isso vem também o reconhecimento crescente por parte dos consumidores em relação aos papéis e responsabilidades dos produtores. Além do fundamental, que é a missão de alimentar o mundo, os consumidores também os veem como guardiães dos recursos naturais da Terra (47%), especialistas em cuidado animal (42%), tecnologicamente experientes (21%) e empresários profissionais (20%).  

“Diariamente, os produtores rurais têm diversos papeis. Eles trabalham para manter seus animais saudáveis e livres de doenças, protegem os recursos da Terra e gerem suas operações sustentavelmente, fornecem emprego e dirigem um negócio lucrativo”, conta Webster.

O estudo sugere que os respondentes acreditam que a tecnologia pode ajudar os produtores rurais a resolverem outros desafios que eles enfrentam. Dos entrevistados, 29% gostariam de ver os produtores priorizando a tecnologia que melhora a saúde e bem-estar dos animais, enquanto 28% gostaria de ver a tecnologia que melhora, no geral, a segurança alimentar. 

A tecnologia e a inovação continuam a ajudar esse público a superar desafios.

  • Sensores de leitura de comportamento dos animais e informações ambientais em tempo real em aviários usam a Inteligência Artificial (IA) elearning machine, fornecendo insights aos avicultores para maximizar o conforto e saúde do animal, além de uma eficiência otimizada.
  • Empresas como a Cainthus estão investindo em tecnologia de  visão computadorizada. Quando os produtores têm acesso a dados em tempo real, eles podem tomar decisões mais embasadas que podem melhorar a nutrição, otimizar o bem-estar e o conforto do animal e, em última instância, aumentar os rendimentos dos componentes do leite.  Estas tecnologias também podem melhorar o impacto ambiental da pecuária, tornando-a mais sustentável.
  • A líder em tecnologia para suinocultura, Agriness, combina gestão de dados e profunda experiência em nutrição e produção animal para melhorar previsões, como produtividade e melhorar as práticas de gestão da atividade.
  • A nova tecnologia portátil, EWOS SalmoNIR da Cargill utiliza a espectroscopia do infravermelho próximo para fornecer aos produtores de salmões dados em tempo real sobre conteúdo de gordura, pigmentação, ômega-3 e outros parâmetros importantes, ajudando-os a tomar decisões sobre gestão e nutrição melhor e mais rapidamente. 

“Estas tecnologias já estão tendo um impacto na sustentabilidade da fazenda, na lucratividade do negócio e na saúde animal e nós estamos inovando rapidamente, antecipando as necessidades em todos os nossos mercados para assegurar a prosperidade do produtor rural”, revela Webster.

O estudo trouxe também informações sobre a tecnologia desejada pelos consumidores. E ela varia de acordo com os mercados. No Vietnã, por exemplo, os consumidores mostraram uma exigência mais forte pela tecnologia, com 36% dos respondentes afirmando que esperam que os produtores sejam experientes em tecnologia. Os EUA, também traz essa preocupação, especialmente entre as gerações mais jovens que estavam mais suscetíveis a desejarem uma tecnologia que melhore a saúde e o bem-estar do animal. 

Quase um quarto dos jovens americanos (Geração Z, entre 18 e 23 anos) procuram comprar a sua comida de fazendas que estão usando as tecnologias mais recentes. No Brasil, as fazendas que usam as mais recentes tecnologias para melhorar a eficiência, sustentabilidade e/ou o bem-estar animal são a fonte preferida para alimentos (25%).

“A pecuária tem sido sempre um segmento tecnológico, mas como o apoio dos consumidores aos produtores continua a crescer, vemos a oportunidade para criar um diálogo que forneça uma maior visibilidade em relação aos avanços inovadores que estamos observando atualmente na pecuária e, destacar o papel importante que eles terão no futuro dos nossos alimentos”, finaliza Webster. 

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação