Pesquisa da Serasa revela que gastos com automóvel é a segunda maior despesa anual dos brasileiros

41
Renault Kwid Intense. Foto: Rodolfo BUHRER/ La Imagem / Renault

Pandemia mudou o hábito de usar automóvel no país 

Para mensurar o impacto dos automóveis dentro do orçamento familiar e oferecer soluções que ajudem a saúde financeira dos brasileiros, a Serasa encomendou uma pesquisa inédita que ajuda a decifrar o envolvimento peculiar entre a população e os carros. O levantamento reforça também como o pagamento parcelado do IPVA, um dos principais custos veiculares do ano, pode colaborar positivamente para aliviar o impacto no orçamento das famílias.

Realizado em parceria com o Instituto Opinion Box, o estudo A Relação do Brasileiro com o Automóvel revela que dois a cada 10 proprietários ainda não se planejaram para pagar o IPVA 2023, cujo calendário já está correndo desde dezembro.

Cobrado anualmente, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) corresponde ao valor que deve ser pago por todos os proprietários de veículos, como carros, motos, ônibus, caminhões e outros. O cálculo depende do modelo e do ano de fabricação do veículo, variando de acordo com o Estado em que o bem está registrado e com a Tabela FIPE.

“Mesmo sendo uma despesa recorrente e sempre na mesma época do ano, o valor ainda pega os motoristas de surpresa”, observa Laís Gabriel, especialista da Serasa. “Nesse cenário, o planejamento financeiro é imprescindível para conseguir estimar os gastos e, quem sabe, investir no pagamento à vista no ano seguinte”, complementa Laís.

A partir da Carteira Digital Serasa, o consumidor pode pagar o IPVA com mais segurança, além de encontrar condições especiais. “Caso prefira quitar à vista, é possível contar com o desconto da Cota Única”, explica Laís. “Apenas pela plataforma da Serasa, é possível garantir esse desconto e parcelar em até 12 vezes, aliviando o orçamento”. A oportunidade deve-se à parceria entre a Serasa e a empresa Zapay, especializada no setor de automóveis, com propósito de ajudar milhares de brasileiros no pagamento de débitos veiculares.

Pesquisa: “A Relação do Brasileiro com o Automóvel” 

O levantamento realizado com 2.067 entrevistados entre os dias 12 e 18 de dezembro de 2022 avalia os impactos dos veículos no bolso do motorista e da família, além de tentar decifrar as tendências de mercado e as relações comportamentais que envolvem o brasileiro e o carro. As principais constatações da pesquisa:

  • Em 63% dos lares, os custos com os veículos é a segunda maior despesa do orçamento, atrás de alimentação (72%) e à frente de despesas com contas básicas (57%).
  • O modelo de trabalho home office ou híbrido, gerado pela pandemia, alterou o uso do carro para pelo menos 48% dos brasileiros.
  • A organização financeira ainda aparece como uma questão de conflito para os motoristas: 40% consideram complexo fazer os cálculos para manter um veículo e 32% admitem gastar mais que o planejado.
  • Entre as funções mais usuais do automóvel para os brasileiros, estão: passeios em fins de semana, compras e tarefas, diárias, locomoção para trabalho ou local de estudo.
  • Entre os motivos para o incremento dos valores, considerando o momento de pandemia e os cenários enfrentados, encontra-se o aumento dos gastos com combustíveis, relatado por 48% dos entrevistados. Em contrapartida, para quem diminuiu o uso em relação ao período pré-pandêmico, os novos formatos de trabalho implementados, como o home office (26%) e o modelo híbrido (22%), aparecem como os principais fatores.
  • Em busca de saídas para amenizar impactos no orçamento, pelo menos 1 em cada 10 proprietários projeta se desfazer do veículo nos próximos 12 meses, abrindo mão do carro ainda em 2023.
  • E 23% dos motoristas passaram a usar o veículo, depois da pandemia, como forma de rendimento e ferramenta de trabalho, apostando em serviços de transporte via aplicativo, de entregas ou novas atividades.

Para ver como renegociar o IPVA pela Carteira Digital, clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui