Pesquisa do Paraná projeta segundo turno entre Bolsonaro e Geraldo Alckmin

4
496

O Instituto Paraná divulgou nesta quarta-feira (15) em que confirma a liderança do deputado Jair Bolsonaro (PSL) na corrida presidencial, num cenário sem a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Bolsonaro (PSL) ficaria com 23,9% dos votos, seguido de Marina Silva (Rede) com 13,2%, Ciro Gomes (PDT) com 10,2%, Geraldo Alckmin com 8,5%, Álvaro Dias (Podemos) com 4,9%, Fernando Haddad (PT), provável substituto de Lula na corrida eleitoral, com 3,8% dos votos.

O Paraná Pesquisas também questionou, de forma estimulada, quais candidatos deverão disputar um eventual segundo turno. Bolsonaro aparece com uma larga vantagem na frente, com 43,3%, seguido por Alckmin com 27,6%. Para 21%, Ciro Gomes disputará o segundo turno e 20,7% acreditam que Marina Silva estará nesta etapa. Para 10,1%, Haddad estará no segundo turno, enquanto 8% e 3,1%, respectivamente, avaliam que Álvaro Dias e Meirelles estarão na segunda etapa.

Também aparecem pontuando o Cabo Daciolo (Patriota), com 1,2% das intenções de voto, numericamente à frente de João Amoedo (Novo), que possui 1,1%, de Henrique Meirelles (MDB) e de Vera Lucia (PSTU, ambos com 0,9%. Guilherme Boulos (PSOL) tem 0,7%, enquanto José Maria Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) possuem 0,6% e 0,4%, respectivamente. Dos entrevistados, 6,8% disseram que não souberam em quem votar e 23,1% afirmaram que não votarão em ninguém.

De acordo com o Instituto Paraná, foram entrevistados 2.002 eleitores através de entrevistas pessoais em 26 estados e no Distrito Federal e em 168 municípios entre os dias 09 e 13 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

No cenário com a presença de Lula, o petista lidera com 30,8%, seguido por Bolsonaro com 22% e Marina com 8,1%. Alckmin tem 6,6%, Ciro Gomes tem 5,9%, Álvaro Dias 4% e  Amoêdo tem 1% das intenções de votos. Abaixo de 1%, estão Cabo Daciolo (0,8%), Meirelles (0,7%), Vera Lucia (0,5%), Boulos (0,4%),  Eymael  (0,3%) e Goulart Filho (0,2%). Do total, 4,6% não souberam em quem votar e 14,3% disseram que não votarão em ninguém.

O instituto também questionou qual o impacto do apoio do presidente Michel Temer, do mesmo partido de Meirelles, na vontade de votar no candidato do MDB para presidente. Do total, 4,7% avaliam que há maior propensão a votar, 39,3% acreditam que o apoio é negativo e a maioria (51,4%), apontou que não se altera. Não souberam ou não opinaram foram 4,7%.

A mesma pergunta foi feita no caso do impacto do apoio de Lula a Haddad. Para 19%, aumenta a vontade, 25,2% dizem que diminui enquanto que, para a maioria (50,7%), não há mudança. Do total, 5,1% não souberam ou não opinaram.

(Com dados da Infomoney)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

4 COMENTÁRIOS

  1. Na minha opinião, de agora em diante o cenário vai começar a mudar. Candidatos radicais e sem propostas claras começarão a perder espaço. Acredito que quem tomará destaque, estará no segundo turno e será nosso próximo presidente é o Alckmin.

  2. Alckmin tá se movimentando bem, pra quem acredita em pesquisa vai ser uma grande surpresa! #GeraldoPresidente

  3. Geraldo Alckmin é o melhor candidato para esse momento que o Brasil está enfrentando,pois é o único que realmente pode colocar o Brasil no rumo certo.

Comments are closed.