Pesquisa Ipsos mostra que 80% dos brasileiros acham governo de Michel Temer ruim e péssimo

0
698

Segundo pesquisa Pulso Brasil, realizada pela Ipsos, a avaliação do governo do presidente Michel Temer alcançou em maio o maior índice de rejeição, já que 80% dos brasileiros classificam-no como ruim e péssimo. Comparando o número atual da gestão do peemedebista com o de abril, percebe-se uma elevação de cinco pontos percentuais neste quesito (de 75% para 80%).

O estudo ainda aponta que 93% dos entrevistados consideram que o Brasil está no rumo errado – uma piora de um ponto percentual em relação ao índice do mês anterior (92%). Com margem de erro de 3 pontos percentuais, a pesquisa da Ipsos realizou 1.200 entrevistas presenciais em 72 municípios brasileiros.

“O levantamento é uma fotografia da percepção dos brasileiros poucos dias antes da divulgação do acordo de delação premiada da JBS. Analisando a série histórica, tanto a taxa de aprovação quanto o barômetro sobre os rumos do país, é possível projetar que o noticiário recente tem grande probabilidade de acentuar a tendência identificada na pesquisa de maio”, comenta Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos Public Affairs, responsável pelo Pulso Brasil.

No ranking “Barômetro Político”, a pesquisa também analisou a popularidade de 44 nomes listados entre políticos e personalidades públicas.  O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, continua sendo o nome mais rejeitado, com índice de 88%. Na segunda colocação está o presidente Michel Temer com 86%, seguido pelo senador Renan Calheiros, que soma 80%, e por Fernando Collor de Mello e Aécio Neves que estão empatados, com 77% de reprovação.

Analisando a imagem dos últimos três ex-presidentes do país, Dilma Rousseff totaliza 73% de rejeição versus 22% de aprovação. Fernando Henrique Cardoso soma 70% de desaprovação contra 12% de aprovação. Já, Luiz Inácio Lula da Silva possui 63%de reprovação e 33% de aprovação.

Medindo os políticos que já disputaram o segundo turno em um pleito presidencial, Aécio Neves é o tucano com maior taxa de rejeição com 77%, alta de um ponto percentual sobre o mês passado.  Seguido por José Serra, que permanece com os 70% de abril, e por último, Geraldo Alckmin com 64% (único do partido que teve uma queda na desaprovação de quatro pontos percentuais). Já Marina Silva, da REDE, continua melhorando seu índice e diminuiu seis pontos percentuais em relação a última edição do estudo, somando 52% de desaprovação.

Por outro lado, o juiz Sérgio Moro e o ex-juiz Joaquim Barbosa são as personalidades mais bem avaliadas com 69% e 43% de aceitação, respectivamente. Na sequência está o ex-presidente Lula da Silva e o deputado federal Tiririca, empatados com 33% de aprovação, seguidos por Cármen Lúcia que acumula 30% de favorabilidade.

A pesquisa da Ipsos ampliou, no levantamento de maio, a lista de pessoas analisadas. Outras personalidades que foram avaliadas quanto ao índice de desaprovação e aprovação são:

  • Sérgio Cabral (72% e 1%, respectivamente)
  • Anthony Garotinho (69% e 4%, respectivamente)
  • Aloizio Mercadante (50% e 3%, respectivamente)
  • Rodrigo Maia (50% e 2%, respectivamente)
  • Jair Bolsonaro (50% e 14%, respectivamente)
  • Romero Jucá (49% e 3%, respectivamente)
  • Celso Russomano (49% e 17%, respectivamente)
  • Ciro Gomes (48% e 13%, respectivamente)
  • Eduardo Paes (48% e 2%, respectivamente )
  • Jean Wyllys (47% e 5%, respectivamente)
  • Marcelo Crivella (46% e 12%, respectivamente)
  • Romário (46% e 20%, respectivamente)
  • Paulinho da Força (46% e 4%, respectivamente)
  • ACM Neto (45% e 7%, respectivamente)
  • Gilmar Mendes (44% e 3% respectivamente)
  • Henrique Meirelles (44% e 6%, respectivamente)
  • Fernando Haddad (44% e 5%, respectivamente)
  • Roberto Justus (40% e 18%, respectivamente)
  • Gleisi Hoffmann (40% e 3%, respectivamente)
  • João Doria (39% e 16%, respectivamente)
  • Lindberg Farias (39% e 1%, respectivamente)
  • Paulo Skaf (38% e 6%, respectivamente)
  • Rodrigo Janot (36% e 20%, respectivamente)
  • Deltan Dallagnol (25% e 12%, respectivamente)
  • Jorge Paulo Lemann (20% e 6%, respectivamente)
  • Abilio Diniz (19% e 12%, respectivamente)
  • Guilherme Leal (17% e 7% respectivamente)
  • Luiza Trajano (17% e 8% respectivamente)
  • Viviane Senna (16% e 22% respectivamente).

Sobre a Ipsos – A Ipsos é uma empresa independente global na área de pesquisa de mercado presente em 88 países. A companhia tem mais de 5 mil clientes e ocupa a terceira posição na indústria de pesquisa. Maior empresa de pesquisa eleitoral do mundo, a Ipsos atua ainda nas áreas de publicidade, fidelização de clientes, marketing, mídia, opinião pública e coleta de dados.

Os pesquisadores da Ipsos avaliam o potencial do mercado e interpretam as tendências. Desenvolvem e constroem marcas, ajudam os clientes a construírem relacionamento de longo prazo com seus parceiros, testam publicidade e analisam audiência, medem a opinião pública ao redor do mundo.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação