Pesquisa revela que participação da mulher na atividade empresarial cresce 31% no Maranhão

0
1555

A pesquisa Donos de Negócios no Brasil: análise por gênero, encomendada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), revela que o número de mulheres que se tornaram empresárias no Maranhão cresceu e elas já representaram 31% do universo dos empreendedores no estado. De acordo com o estudo, em 2012 eram 259 mil mulheres donas de negócios e 2014 elas eram 313 mil, o que mostra um crescimento de 20,84% no período.

De acordo com o estudo, o contingente de empresárias maranhenses representa 4% do total das 7,9 milhões de mulheres que se tornaram donas de negócios no país, estando a maioria nos setores do Comércio e de Serviços. Metade delas começou a empreender entre os 35 e 54 anos de idade e 58% completaram o ensino médio ou tem nível superior.

Seegundo a pesquisa, 65% dos donos de negócios brasileiros tem o nível fundamental incompleto ou o ensino médio completo ou incompleto. Outro dados relevante é que elas empreendem em uma faixa de idade que denota maior maturidade, enquanto que 49% dos homens se tornam donos de negócios até os 35 anos.

Mais escolarizadas e mais maduras quando empreendem as mulheres conseguem resultados sempre melhores. Outra pesquisa, a Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), mostra que quando se faz um corte para as empresas que têm três anos e meio de existência ou mais, elas comandam quase metade dos negócios ativos: elas estão à frente de 49% das empresas com este perfil.

Há 13 anos a mulheres representavam apenas 42% dos empreendimentos com este perfil, o que quer dizer que houve um ganho de sete pontos percentuais no período.

Imagem relacionada

Empreendedoras – Um dos fatores que ajudaram a alavancar o crescimento do número de mulheres donas de negócios foi a possibilidade de formalização como Microempreendedor Individual (MEIs). Uma boa prova disso é que 48,66% dos MEIs registrados no estado são do sexo feminino.

Boa parte delas estão concentrados em Comércio e Serviços, com destaque para os segmentos de serviços em beleza, comércio de alimentos e de vestuário, que juntos somam 24,9 mil MEIs do sexo feminino, o que representa 57,7% deste grupo.

Outro aspecto que pode explicar a expansão do número de mulheres empreendendo é a possibilidade de trabalhar em casa, uma vez que a pesquisa “Donos de Negócios no Brasil: análise por gênero (2001-2014)” mostra que 35% delas trabalham em casa enquanto apenas 7% dos homens trabalham em casa.

Além disso, a carga horária semanal é menor – 52% delas trabalham entre 15 e 44 horas semanais enquanto 63% deles trabalham de 40 horas ou mais – permite com que as mulheres continuem uma carreira profissional ativa e ainda se mantenham mais próximas da criação dos filhos.

(Com informação do Sebrae)

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação