Polícia Federal auxilia Polícia Civil na investigação do assassinato de delegado

0
925
Wanderson Baldez foi preso em hospital

Em nota assinada pela sua superintendente, Cassandra Parazi, a Polícia Federal diz que vai ajudar a Polícia Civil nas investigações sobre a morte do delegado Davi Farias Aragão. Na manhã deste domingo (06), Wanderson Baldez Costa, 20 anos, foi preso como suspeito do crime, ocorrido na noite de sábado na Praia do Meio.

Além de confessar o crime, Wanderson apontado Davi Costa Martins, vulgo ‘Olhão’, e Leandro, como cúmplices. Os três são integrantes de uma facção criminosa na Região Metropolitana.

De acordo com o superintendente de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), Lúcio Rogério Reis, as buscas continuam para prisão dos demais suspeitos. Ainda segundo ele, a ação rápida de identificação e prisão de um dos envolvidos foi possível graças ao trabalho integrado das forças policiais, que pode averiguar a ida de Wanderson a um hospital.

Crime – O crime ocorreu na noite do sábado (05), na Praia do Meio, município de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís.  Segundo as investigações, Baldez e os outros dois suspeitos invadiram a residência da vítima durante uma festa, travaram luta corporal com o delegado e o atingiram com três facadas e disparos de arma de fogo.

O policial Davi Farias Aragão foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e, posteriormente, a um hospital particular, onde já chegou sem vida.

Eis a nota da Polícia Federal:

Com profundo pesar, a Superintendência da Polícia Federal no Maranhão lamenta o trágico falecimento nesta data, 06 de maio, do Delegado de Polícia Federal DAVID FARIAS DE ARAGÃO, ocorrido durante assalto em sua residência localizada em São Luís/MA.

O estimado colega era natural desta capital, tinha 36 anos, era casado e tinha duas filhas. Ingressou na Polícia Federal há mais de doze anos, com atuação exemplar e comportamento louvável, coordenou várias operações policiais e contribuiu intensamente em ações de combate ao crime. Atualmente chefiava a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários.

Logo após o crime, a Polícia Federal, em um esforço de todo seu efetivo, iniciou os trabalhos que já culminaram com a prisão de um dos três envolvidos no crime. O inquérito policial que apurará o latrocínio já foi instaurado e será conduzido pela Polícia Civil do Estado do Maranhão.

A Polícia Federal continuará envidando todos os esforços possíveis para colaborar na elucidação dos fatos e prisão dos criminosos, solidarizando-se com familiares, amigos e colegas de trabalho, lamentando profundamente o triste episódio que retirou, de forma precoce, a vida do policial que deixará imensa saudade no nosso convívio.

Fica estipulado luto na instituição pelo prazo de 3 dias.

CASSANDRA FERREIRA ALVES PARAZI
Delegada de Polícia Federal
Superintendente Regional da SR/PF/MA

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação