Polícia Federal vai investigar se o “marido” do editor do Intercept comprou mandato de Wyllys

0
1149

AQUILES EMIR

A Polícia Federal recebeu denúncia do deputado José Medeiros (PSDB-MT) e vai apurar as suspeitas que envolvem uma possível negociação de mandato entre o ex-deputado Jean Wyllys e seu primeiro suplente David Miranda, ambos do PSOL. Wyllys renunciou antes da posse, alegando estar ameaçado de morte, e passou a ser ativista política na Europa, de onde dispara denúncias contra o governo de Jair Bolsonaro.

Miranda é marido do jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept, que vei fazendo uma série de publicações de diálogos que teriam sido travados entre o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, ex-juiz federal, com membros do Ministério Público integrantes da Força Tarefa da Lava Jato.

O deputado Medeiros enviou sua denúncia à PF, em junho. Ao site O Antogonista, ele disse que “há um claro objetivo político de desestabilizar tudo, para a Lava Jato e impedir a reforma da Previdência. Estamos em guerra contra uma quadrilha”, numa insinuação de que as publicações do Inhtercept visam a libertar o ex-presidente Lula e interromper a continuidade da Lava Jato.

Nos diálogos divulgados pelo jornalista Glenn Greenwald, Sérgio Moro teria orientado os procuradores da Lava Jato sobre as denúncias contra o ex-presidente, mas estes dizem não reconhecer autenticidade das mensagens, numa suspeita de que o material vem sendo editado antes de publicado.

Resultado de imagem para david miranda
Deputado David Miranda e jornalista Glenn Greenwald são suspeitos de terem negociado com Jean Wyllys mandato

O jornalista, que é norte-americano, ameaça fazer novas revelações e diz que o conteúdo por ele recebido veio de fonte anônima, mas se recusa a mostrar os originais para “não prejudicar a fonte”, ou seja, apesar de afirmar que é anônima, sabe quem lhe forneceu o material, que teria sido obtido após grampo nos telefones celulares do ex-juiz e de procuradores.

No ofício, José Medeiros também pediu a verificação de eventuais transferências de recursos de Greenwald para Wyllys. “Tais fatos não me parecem ser mera coincidência”, alertando para o que considera uma “invasão cibernética promovida e patrocinada por estrangeiros”.

Ainda de acordo com O Antagonista, a Polícia Federal já pediu ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) uma análise preliminar das atividades financeiras do advogado americano.

Segue abaixo integra do ofício de José Medeiros à Polícia Federal:

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação