Apesar de evangélica, Eliziane Gama é a única do Maranhão a assinar CPI para investigar pastores

0
466

Randolfe diz que não há dúvidas sobre tráfico de influência

AQUILES EMIR*

Apesar de evangélica, a senadora Eliziane Gama (Cidadania) destoou dos demais colegas da bancada maranhense e assinou o pedido de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a conduta do pastor Milton Ribeiro no Ministério da Educação. Segundo o autor da proposta de CPI e que será seu presidente, Randolfe Rodrigues, os religiosos praticaram um “esquema tenebroso”.

De acordo com as denúncias com a gestão de Milton Ribeiro no MEC, ele teria tomado algumas decisões que favoreceram políticos, alguns deles do Maranhão, ligados a outros líderes evangélicos, alguns deles presos na quarta-feira (22), junto com o ex-ministro, mas que foram soltos nesta quinta (23), por determinação do desembargador federal maranhense Ney Bello Filho, do TF1 de Brasília.

Ao contrário de Eliziane, os senadores Weverton Rocha (PDT), pré-candidato a governador, e Roberto Rocha (PTB), candidato à reeleição, não endossaram o pedido do senador pelo Amapá.

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (23), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) informou que o requerimento para a criação da CPI do MEC já conta com 28 assinaturas de senadores, uma a mais do que o mínimo necessário ao registro do pedido de instalação. O parlamentar afirmou que espera conseguir mais apoios nos próximos dias.

“Não protocolaremos ainda no dia de hoje [quinta-feira] esse requerimento de comissão parlamentar de inquérito. Aguardaremos pelo menos até a próxima terça-feira”, esclareceu Randolfe, acrescentando que fará isso para garantir que não haja risco de “derrubada” do requerimento.

Para o senador da Rede, é possível que a CPI seja instalada ainda neste semestre, antes do recesso parlamentar, que começa em julho. Mas ele reconheceu que os trabalhos de investigação só devem ter início em agosto, após o recesso.

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) conversa com jornalistas sobre a coleta das assinaturas necessárias para instalar a CPI do MEC. Para a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito são necessárias 27 assinaturas (1/3 do Senado). A iniciativa de Randolfe voltou a ganhar força com a prisão preventiva do ex-ministro da Educação no caso sobre a atuação de pastores no MEC. Foto: Pedro França/Agência Senado

“Há alguma dúvida de que houve um esquema tenebroso de tráfico de influência no âmbito do Ministério da Educação? “, questionou Randolfe, ao defender que a CPI, se instalada, investigue não só as denúncias contra o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, mas também as suspeitas de irregularidades no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Colégio de Líderes – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que a possível criação da CPI do MEC poderá ser analisada pelo Colégio de Líderes.

Para Pacheco, em termos de conveniência e oportunidade, o momento pré-eleitoral é algo que pode prejudicar o escopo de uma CPI, que, ressaltou ele, deve ser isenta e ter o tempo necessário para a apuração a que se propõe.

“O fato de estarmos muito perto das eleições termina prejudicando o trabalho dessa e de qualquer outra CPI. Talvez seja o caso de submeter ao colégio de líderes esse e outros pedidos”, ponderou o presidente do Senado.

De acordo com Randolfe, o requerimento que pede a criação da CPI do MEC já tem as seguintes assinaturas:

Randolfe Rodrigues (Rede-AP)Paulo Paim (PT-RS)
Humberto Costa (PT-PE)Fabiano Contarato (PT-ES)
Jorge Kajuru (Podemos-GO)Zenaide Maia (Pros-RN)
Paulo Rocha (PT-PA)Omar Aziz (PSD-BA)
Rogério Carvalho (PT-SE)Reguffe (União-DF)
Leila Barros (PDT-DF)Jean Paul Prates (PT-RN)
Jaques Wagner (PT-BA)Eliziane Gama (Cidadania-MA)
Mara Gabrilli (PSDB-SP)Nilda Gondim (MDB-PB)
Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB)José Serra (PSDB-SP)
Eduardo Braga (MDB-AM)Tasso Jereissati (PSDB-CE)
Cid Gomes (PDT-CE)Alessandro Vieira (PSDB-SE)
Dário Berger (PSB-SC)Simone Tebet (MDB-MS)
Soraya Thronicke (União-MS)Rafael Tenório (MDB-AL)
Giordano (MDB-SP)Izalci Lucas (PSDB-DF)

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

(*Com informações da Agência Senado)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação