Urna eletrônica é patrimônio nacional, diz presidente do TSE, ministro Edson Fachin

0
89

“Todos sabemos que a urna eletrônica nasceu para propiciar eleições seguras”

Na abertura da sessão desta terça-feira (17), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) convidou brasileiras e brasileiros a prestarem uma homenagem à urna eletrônica, que completou 26 anos no dia 13 de maio.

“Que todos exerçam seu dever cívico, comparecendo à seção eleitoral no dia 2 de outubro de 2022 e participando das eleições nacionais”, disse.

Ao celebrar a data, Fachin destacou que a urna eletrônica é um patrimônio nacional e “uma garantia oferecida a cidadania brasileira de que sua voz é ouvida na República, de que seu voto é recebido com igualdade e, com todos os demais votos escolhidos, integra com fidedignidade o resultado eleitoral”.

O ministro ressaltou que as urnas eletrônicas são seguras e que os resultados gerados são fiéis à manutenção da vontade de todo o eleitorado brasileiro, com total fidelidade.

“Prova disso são as 14 eleições, entre municipais e gerais, com voto eletrônico, além de centenas de eleições suplementares espalhadas por municípios brasileiros. Todos os resultados espelhando fielmente a expressão da soberania popular”, afirmou.

Segundo Fachin, as derrotas obtidas nas urnas não são fruto da operacionalidade dos equipamentos, mas sim da manifestação do verdadeiro e único titular do Poder da República: o povo brasileiro.

Números – Atualmente, são 577 mil equipamentos em mais de 483 mil seções eleitorais no Brasil. Cada uma dessas urnas conta com mais de 30 camadas de segurança, exaustivamente testadas e atestadas para garantir o sigilo e a integridade do voto de cada um dos mais de 150 milhões de eleitores do país.

“Desde 1996, brasileiros e brasileiras conhecem o seu manuseio, conhecem até mesmo os sinais sonoros distintivos de seu funcionamento”, comentou.

Fachin ainda lembrou a realização da etapa de confirmação do Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação (TPS 2021), finalizada no último dia 13 de maio.

“Todos sabemos e não custa repetir que a urna eletrônica nasceu para propiciar eleições seguras. Não existem mais fraudes entre nós. Nosso sistema é moderno, seguro e confiável. E até mesmo hoje, depois do mais recente sofisticado teste de confirmação, não houve qualquer sucesso nas tentativas de invasão do sistema”, enfatizou.

(Do TSE)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação