PF cumpre ordem de Alexandre de Moraes prender bolsonaristas que lideram protestos

27
Viaturas e agentes da Polícia Federal no Rio de Janeiro REUTERS/Ueslei Marcelino

Operação mira líderes de protestos contra eleições

A Polícia Federal cumpre, nesta quinta-feira (15), 81 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, em apuração que tramita na Corte acerca dos bloqueios de rodovias após a proclamação do resultado das Eleições Gerais de 2022. A ação foi assinada pelo ministro Alexandre de Moraes, que preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As medidas estão sendo cumpridas nos estados do Acre, Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e no Distrito Federal, em face de pessoas físicas e jurídicas identificadas pelas forças federais e locais de Segurança Pública.

O ministro do STF também determinou a quebra de sigilo bancário e o bloqueio de contas de dezenas de empresários. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados. A operação se dá no âmbito do inquérito das fake news, segundo informação do UOL.

Nesta quarta-feira (14), numa solenidade no STF, Alexandre de Moraes, após ouvir comentário do colega ministro Dias Tóffoli sobre prisões nos Estados Unidos, após invasão do Capitólio, no Estados Unidos, afirmou que “ainda falta muita gente para prender”, bem como muitas multas para aplicar.

Na sua fala, Toffoli disse “quem imaginava que ia ter uma invasão no Capitólio? (…) Lá, 964 pessoas já foram detidas, nos 50 estados, acusados de crimes cometidos desde 6 de janeiro”

Ao que completou Moraes: “Fiquei feliz com a fala do ministro Toffoli, porque comparando os números ainda tem muita gente pra prender e muita multa para aplicar”.

(Com informações da PF e do UOL)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui