Por que é tão difícil namorar atualmente?

0
1544

Cada pessoa é completa, não encontrará no outro uma parte que falta

Nós, detemos de sonhos para viver, eles encantam nossas almas e nos dão esperanças para seguir. A cada ano e a cada fase, evoluímos e transformamos quem somos. Essas mudanças, moldam nossas personalidades e fazem com que sejamos quem somos, uma parte inteira e completa.

Esta evolução, vem de uma necessidade interior de ser melhor. Os problemas externos, internos e as pessoas que passam por nossas vidas nos ensinam lições que não aprendemos em livros.

No amor não seria diferente, ele é o sentimento mais desejado. Existem formas de aprender sobre ele em livros, estudos, em músicas, poemas, sonetos, nas histórias e nas nossas experiências. Por isso, o site de relacionamento Meu Rubi, conversou com algumas usuárias e perguntou “porque é tão difícil namorar? o que te impede de realizar este sonho?”.

Veja abaixo:

  • Julia: Já tive muitas relações amorosas e todas terminaram pelo mesmo motivo, o ciúme. No começo eu achava fofo, ele dizia que não gostavam de me ver com meus amigos homens, depois queria opinar no meu guarda-roupa. Eu percebi que isso estava fora de controle, quando perdi o aniversário do meu irmão. Meu namorado tinha de trabalhar e a ideia de me ver sozinha em uma festa com homens solteiros(mesmo que familiares), o deixou transtornado e furioso. Para evitar brigas, eu havia me afastado de amigos, colegas e familiares.
  • Maria: eu conheci um cara num aplicativo de relacionamento, ele foi muito gentil, romântico e um cara muito família, tudo que eu sempre quis. Depois de uns meses de namoro, quando ele começou a frequentar minha casa e vice-versa. Eu percebi que o Jorge(meu namorado) achava que eu era sua mãe. Ele se recusava a fazer as tarefas domésticas quando estávamos juntos, dizia que eu devia ser mais feminina e ainda por cima não entendia quando eu me recusava a fazer sexo. Ele fazia a situação sempre ser culpa minha, um dia me cansei de ser sua “empregada” e dei o pé na bunda. A gente namora pra ter um parceiro e no final se torna empregada, mãe e puta particular dele?! Dai não da!
  • Ania: Eu quase fui casada, namorei por 9 anos e foi muito intenso. Eu e meu ex se conhecemos quando eu estava passando por um momento muito difícil da minha vida. Eu havia acabado de me mudar, estava longes dos meus amigos e pais, ia começar uma vida nova. Eu era de cidade pequena e ele sempre foi o oposto. No começo era bom, saimos sempre juntos, ele me apresentou a sua roda de amigos, passamos a fazer atividades em conjunto e afins. Com os anos passando, eu percebi que o seu comportamento estava mais intenso, ele estava muito ciumento e viva me deixando para baixo. Quando eu me dei conta das coisas que fiz e deixei para trás em nome daquele amor eu já estava destruída. Não tinha amigos, alguns eu afastei por pedido dele, outros haviam me alertado e eu me os afastei, eu não tinha hobbies, mal saia de casa se não fosse com ele, não me sentia bem com a minha imagem no espelho e ele me fazia acreditar que eu não era capaz de nada. Eu vivi um relacionamento abusivo e precisei de muitas forças para me recuperar.
  • Elaine: os homens só querem saber de transar comigo. Não que eu não goste de um sexo casual, mas falar a palavra amor ou relacionamento perto deles é assustador. Seria a mesma experiência de gritar “eu amo McDonald’s dentro do Burger King, bizarro e sem sentido”. E quando eu só quero transar e eles já vêm com o papinho de “ai eu não sou homem de uma só mulher”. Calma lá garanhão, você não é o terno de um bilhão de dólares e não é porque eu sou mulher que me apaixono no primeiro beijo. Mas, sabe, eu quero alguém que me veja além do meu corpo, só que ele só querem isso.

Como nossas usuárias disseram, muitos homens ainda não sabem como tratar uma mulher, qual a diferença de mãe e namorada, quais seus deveres na casa, ou a responsabilidades de suas ações. Os namoros devem ser um momento de amor, crescimento, amadurecimento e um refúgio, não um problema novo e com uma embalagem bonita.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação