Prazo para exame toxicológico vence dia 30 para 3,4 milhões de motoristas em situação irregular

6

No Maranhão 53,6 mil dependem de regularização 

O prazo final para a regularização do exame toxicológico se aproxima, e, segundo dados da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran), mais de 3,4 milhões de condutores das categorias C, D e E ainda estão em situação irregular em todo o Brasil. O prazo para o primeiro grupo de condutores das categorias C, D e E, com vencimento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) entre janeiro e junho, terminou em 31 de março.

Agora, caso esses motoristas não façam o teste até 30 de abril, poderão ser multados diretamente pelos sistemas eletrônicos dos Departamentos de Trânsito (Detrans) estaduais e do Distrito Federal a partir de 1º de maio, conforme o artigo 165-D do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

A não realização do exame dentro do período estabelecido é considerada infração gravíssima, sujeita a multa de R$ 1.467,35 e sete pontos na CNH.

Alerta e conscientização – A Senatran enfatiza que os sistemas eletrônicos dos Detrans estaduais e do Distrito Federal serão responsáveis por verificar o cumprimento dos prazos, podendo aplicar as penalidades após o término do período adicional.

Além disso, o órgão tem buscado orientar os condutores por meio de campanhas educativas e alertas emitidos via Carteira Digital de Trânstio (CDT) para que os motoristas realizem o teste.

Veja como verificar ser seu exame toxicológico está em dia:

  • Acesse a área do condutor da CDT;
  • Clique no botão “Exame toxicológico”;
  • Verifique se o prazo para realização está vencido;
  • Em caso positivo, busque um dos laboratórios credenciados e faça a coleta para a realização do exame toxicológico.

Balanço

De acordo com levantamento realizado pela Senatran em 6 de abril 3,4 milhões de motoristas das categorias C, D e E ainda não realizaram o exame toxicológico em todo território nacional. Na região Nordeste, 509 mil condutores seguem com os exames pendentes. Veja a situação de cada estado:

  • Rio Grande do Norte (RN): 32,2 mil condutores irregulares
  • Pernambuco (PE): 102,1 mil condutores irregulares
  • Ceará (CE): 59 mil condutores irregulares
  • Maranhão (MA): 53,6 mil condutores irregulares
  • Paraíba (PB): 41,2 mil condutores irregulares
  • Bahia (BA): 138,3 mil condutores irregulares
  • Alagoas (AL): 27,8 mil condutores irregulares
  • Piauí (PI): 29,7 mil condutores irregulares
  • Sergipe (SE): 25 mil condutores irregulares

(Assessoria Especial de Comunicação do Ministério dos Transportes)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui