Preço da gasolina diminui cerca de R$ 1,00 nos postos de São Luís após fiscalização do Procon

195

Postos realinharam preços após notificações do Procon

AQUILES EMIR

Os postos de combustíveis de São Luís, que no domingo (1º) haviam reajustado, para cima, o preço da gasolina em suas bombas, realinharam novamente os valores desses produtos, desta vez para baixo. Um dia após as notificações do Procon a distribuidoras e revendedoras, o preço caiu, em média, R$ 1,00.

No domingo, para surpresa dos consumidores, os preços que vinham sendo praticados, no penúltimo dia do ano de 2022, na faixa dos R$ 4,80, subiram para R$ 5,99, ou seja,  R$ 1,20 a mais.

Dois fatores foram alegados pelos donos dos postos para esse super aumento: o anúncio do fim das isenções dos impostos federais e um aumento praticado pelas distribuidoras, que elevaram seus preços para mais de R$ 4,40. A volta da isenção dos tributos federais deu-se logo após a posse do presidente Lula, depois da repercussão negativa do aumento.

Num posto do Grupo JR, no bairro do Anil, que amanheceu domingo com preço da gasolina a R$ 5,99, nesta terça estava cobrando a R$ 4,99. A poucos metros, um outro posto, Pit Stop, que também havia aumentado seus preços para R$ 5,99 baixou, e numa escala ainda maior: para R$ 4,78.

Diferença – Para que se tenha do que representa esta oscilação de preços, um carro com tanque de cinquenta litros que foi abastecido no domingo, num posto JR, pagou por um abastecimento completo ao preço R$ 5,99, a quantia de R$ 299,50. Este mesmo carro, se fosse abastecido nesta terça-feira (03), geraria uma despesa bem menor, de R$ 249,50, ou seja, uma diferença de R$ 50,00, valor que hoje daria para pagar mais de dez litros.

Já se o abastecimento tivesse sido no posto vizinho ao JR, a diferença seria ainda maior, pois a despesa seria de R$ 239,00 nesta terça, isto é, R$ 60,00 a menos, ou cerca de 12 litros.

De acordo com o diretor do Procon, Ricardo Cruz, o órgão irá investigar toda a cadeia de compra e distribuição, para identificar onde está se dando esse aumento do preço dos combustíveis no Estado do Maranhão.

“Nosso objetivo é verificar se há abusividade nesses valores e porque estão sendo repassados ao consumidor, visto que a Petrobras não anunciou nenhum tipo de reajuste e que também não houve reajuste em impostos”, explica.

 

1 COMENTÁRIO

  1. O ramo de combustíveis é um comércio como qualquer outro. Na sexta-feira eu recebo aumento de preço passado pelo meu fornecedor, fatalmente no sábado ou domingo, quando meu estoque atingir o limite farei o reajuste devido. Quando neste caso o aumento é dado e depois retroagindo, o preço volta também. Com ou sem Procon o mercado se nivela sempre. Mas a busca pelo protagonismo é mais frequente e aí a gerência não é minha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui