Prefeitura contabiliza avanços na Saúde e começa 2020 com novas unidades prontas para reinauguração

0
293

Mais de 20 obras de reforma estão em andamento na área da saúde, em diferentes estágios. As ações ocorrem por meio do programa São Luís em Obras e abrangem postos e centros de saúde, unidades administrativas, sede da escola Técnica do SUS na região Itaqui-Bacanga, prédio da Ouvidoria, entre outros.

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) destaca os investimentos como medida importante no processo de reestruturação da área. “A rede de saúde da capital passa por um processo integrado de reestruturação jamais visto. Não se trata de reformar unidade de saúde tão somente, estamos promovendo uma verdadeira revolução no atendimento à população investindo em capacitação dos servidores, melhorando a estrutura física, equipando hospitais e postos para que tenham condições de atender com qualidade e de forma humanizada os pacientes, além do investimento em prevenção. Hoje, a realidade da saúde da capital é muito diferente de quando iniciamos. Quem utiliza o sistema publico sabe o quanto melhorou. E vamos continuar investindo na saúde, principalmente em ações preventivas”, diz ele.

A rede de atenção básica em saúde de São Luís passa atualmente pelo maior volume de obras de reformas simultâneas em anos. Em novembro de 2019, o Centro de Saúde Genésio Ramos Filho, na Cohab-Anil, foi reinaugurado, sendo a primeira unidade entregue dentre as contempladas pelo pacote de obras lançado em 2019. A unidade foi totalmente reformada, ganhou novos consultórios, equipamentos e teve a oferta de serviços ampliada.

População reconhece os avanços no Genésio Ramos Filho e elogiam as melhorias feitas no local. Foi o caso de Leda Maria Oliveira, 76 anos. “O Centro tem um programa de atendimento específico para os idosos que é muito bom. Com a reforma, o atendimento melhora ainda mais para a gente. Está nota mil”, enalteceu Leda.

Novas reinaugurações – Entre as unidades de saúde que deverão ser entregues já nos primeiros meses de 2019 estão o Centro de Saúde da Vila Bacanga, o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) da Alemanha, o Centro de Saúde do Quebra-Pote, Centro de Saúde Vila Sarney e o Socorrinho II, no São Francisco. Todas estão passando por obras em toda a parte elétrica, hidráulica, revisão do telhado, pintura entre outras melhorias.

Destas, os centros de saúde da Vila Sarney e Vila Bacanga tiveram suas estruturas físicas ampliadas, o que vai permitir aumentar os serviços prestados à população. Outras unidades da rede também vão passar por ampliação da estrutura física ou de serviços. Além de reformar as unidades de saúde, a gestão do prefeito Edivaldo implantou equipes volantes para fazer a manutenção das demais unidades, evitando o sucateamento da rede.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, explica que investir na atenção básica provoca resultados positivos em toda a rede. “Quando nós melhoramos os serviços na atenção básica, a população passa a procurar mais estas unidades, que são as de referência dentro das comunidades. Com isso, reduzimos a superlotação nas unidades de média e alta complexidade, pois o cidadão passa a buscar mais o atendimento preventivo que as emergências. Por orientação do prefeito Edivaldo Holanda Junior, vamos seguir reestruturando a atenção básica e toda a rede, e já temos definido em planejamento a reforma de mais 10 unidades. A continuidade dessa ação vai nos permitir que a gestão siga ampliando os serviços e fortalecendo o atendimento em saúde em São Luís”, disse.

Socorrão II – Uma das principais unidades de saúde de São Luís, o Hospital de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura (Socorrão II) também está passando por reforma, mas devido ao seu porte e à demanda de atendimentos diários os serviços estão sendo feitos ala a ala. Na unidade já foram finalizados os serviços em dois corredores e uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Os próximos setores a terem os serviços iniciados serão um dos centros cirúrgicos e a sala de recuperação pós-anestésica (RPA).

Além de reestruturar a parte física das unidades, a gestão Edivaldo tem implementado políticas que têm garantido a diminuição no tempo de espera para atendimento, a melhoria dos fluxos internos, a diminuição das filas, a humanização do atendimento entre outros benefícios à população.

No Socorrão II, por exemplo, houve um aumento de atendimento para quase mil pacientes por mês em 2019, apesar disto, houve redução na superlotação e no tempo de atendimento. Esta redução é resultado das melhorias nos fluxos de atendimentos como parte da execução do projeto Lean nas Emergências, implantado na unidade de saúde da Prefeitura de São Luís em parceria com o Ministério da Saúde e assessoria do Hospital Sírio-Libanês. A superlotação na unidade teve redução de 72% e o tempo de espera para atendimento, que era de 4.100 minutos, passou para 680 minutos. Os resultados fizeram o Socorrão II a referência nacional no projeto.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação