Presidente da CBF nega que soubesse de pagamento de propinas na entidade

0
456

Em nota divulgada nesta terça-feira (14), o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Delnero, nega que tenha conhecimento de qualquer esquema de corrupção envolvendo a entidade, conforme delação do argentino Alejandro Buzarco, em depoimento à Justiça Norte-Americana.

Buzarco disse que pagou propinas a dirigentes da Fifa, da Conmebol, da CBF e outras instituições e recebeu de emissoras de TV, dentre elas a Globo, pelos direitos de transmissão de competições esportivas.

Eis a íntegra da nota:

Com referência à citação feita à sua pessoa pelo delator premiado ALEJANDRO BUZARCO na Corte de Justiça do Brooklin, New York, EUA, o presidente da CBF, MARCO POLO DEL NERO, vem a público esclarecer que nega, com indignação, que tivesse conhecimento de qualquer esquema de corrupção supostamente existente no âmbito das entidades do futebol a que se referiu.

As investigações levadas a efeito naquele país não apontaram qualquer indício de recebimento de vantagens econômicas ou de qualquer outra natureza por parte do atual presidente da CBF. Igualmente, o que ali ficou apurado foi que os contratos sob suspeita não foram por ele assinados nem correspondem ao período de sua gestão na presidência da CBF.

Esclarece, ainda, que jamais foi membro do Comitê Executivo da Conmebol, mostrando-se também falsa essa informação. Por fim, reafirma que nunca participou, direta ou indiretamente, de qualquer irregularidade ao longo de todas atividades de representação que exerce ou tenha exercido.

(Da CBF)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação