Raimundo Coelho quer ser a voz dos agropecuaristas maranhenses em Brasília

0
1014

AQUILES EMIR

Apesar de sua forte tradição no setor agropecuário, o Maranhão é um dos poucos estados que não contam com representantes na bancada ruralista da Câmara Federal, pois não tem um deputado eleito empunhando a bandeira de defesa do setor primário. Para acabar com essa deficiência, o empresário Raimundo Coelho, presidente licenciado da Federação da Agricultura (Faema), decidiu aceitar o desafio de se lançar como pré-candidato a deputado federal, projeto que, segundo ele, não é seu, mas de um conjunto de empresários, trabalhadores e profissionais liberais identificados com o agronegócio.

Numa entrevista à revista Maranhão Hoje que será publicada na edição de julho, Raimundo Coelho disse que, apesar de sua forte identificação com o setor primário, não pretende ser deputado exclusivo das famílias rurais, por isto vem intensificando reuniões como representantes de outros segmentos produtivos e grupos sociais. Ele faz questão de observar, no entanto, que sua defesa para investimentos em Educação, Saúde, Segurança, Cultura etc sempre terá como fim melhorar as condições de vida na zona rural, pois entende que dela depende o desenvolvimento do estado.

De acordo com o pré-candidato, o Maranhão tem hoje uma agricultura de ponta, com excelentes resultados em colheitas de grãos, principalmente soja e milho, mas o pequeno e o médio produtor não vêm conseguindo acompanhar essa dinâmica porque ainda não tem acesso aos modernos meios de produção, bem como a boa parte é negado o crédito rural porque ainda é de posseiros, “e sem documentação definitiva da terra, não há como conseguir financiamento bancário, pois não há nada para ser oferecido como garantia”.

O mesmo fenômeno se observa no setor pecuário, pois o Maranhão tem excelência em melhoramento genético, mas pequenos criadores adotando ainda os métodos ultrapassados para cuidar de seus animais. Para melhorar esse quadro é preciso que haja investimentos em tecnologia e conhecimentos, o que, muitas vezes, só se consegue pela via política.

Raimundo Coelho diz que diversos projetos que tramitam na Câmara Federal serão melhor acompanhados por ele, se eleito. Os que mais lhe preocupam dizem respeito às questões ambientais, pois criam insegurança jurídica e, consequentemente, afastam investidores do Maranhão.

Raimundo Coelho e Márcio Honaiser são candidatos a deputados federal e estadual

Ideias – Coelho garante que seu nome foi lançado após uma série de encontros de sindicatos rurais, associações de agropecuaristas e até mesmo de empresários urbanos. Sabe, portanto, que não está numa empreitada individual, mas defendendo uma causa, que espera ser bem sucedida, mas, se não der, terá pelo menos a satisfação de ter tentado despertar na comunidade ruralista a consciência política para que nas próximas eleições o Maranhão possa ter um ou mais candidatos brigando para ser o representante deste segmento.

Para entrar na disputa, ele se licenciou da presidência do Sistema Faema, ao qual é vinculado o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e para dar mais visibilidade e força ao seu projeto, trocou de legenda, saiu do PTB para o PDT, partido ao qual é filiado o ex-secretário estadual de Agricultura Márcio Honaiser, pré-candidato a deputado estadual, com quem pretende fazer dobradinha. Coelho acredita que a dupla vai motivar os agropecuaristas maranhenses, de todos os portes, inclusive os agricultores familiares e trabalhadores rurais, a fim de garantir uma boa representação nos parlamentos nacional e estadual.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação