Presidente da Fiema conclama classe política para um pacto pelo desenvolvimento do estado

0
492

Dos 42 deputados que vão compor a Assembleia Legislativa na próxima legislatura, 26 participaram nesta segunda (17) de uma reunião-almoço promovida pelo Conselho Temático de Assuntos Legislativos da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema). No encontro, o presidente da Federação disse que políticos e empresários precisam unir seus discursos em prol do desenvolvimento do estado.

“O Maranhão tem pressa. Quero conclamar a classe política para encontrarmos o melhor caminho. Colocamo-nos à disposição para discutir esses entraves e queremos participar com sugestões. Precisamos diminuir a burocracia e o custo Brasil, a nossa competitividade é muito baixa”, enfatizou Baldez.

“O objetivo maior desse encontro é aproximar a classe política desse novo parlamento liderado pelo presidente da Assembleia, Othelino Neto, com esta Casa, com a classe empresarial para que possamos andar juntos e promover o desenvolvimento do Estado, gerando mais emprego, mais empresas para que possamos ter um Estado muito melhor”, destacou Cláudio Azevedo, que presidente o Conselho.

Entraves – Azevedo fez um breve resumo sobre dados da economia impulsionada pela indústria, que contribui com 19,0% do PIB total do Maranhão (2016), além de ressaltar alguns entraves pertinentes ao desenvolvimento do Estado, como a conclusão dos estudos de Zoneamento Ecológico-Econômico no Maranhão, a não conclusão de projeto de duplicação da BR-135 até Miranda do Norte, em andamento há quase uma década e que vem apresentando inúmeros problemas econômicos e sociais.

O trecho da BR entregue, em janeiro de 2018, já está cheio de fissuras e buracos, as áreas de distritos industriais sem a adequada infraestrutura física e econômica, a demorada burocracia na aprovação de licença ambiental e a conclusão do processo de elaboração e aprovação do Plano Diretor Urbano de São Luís (incluindo Uso e Ocupação do Solo), criando dificuldades à atração de novos investimentos produtivos, o que inibe a atração de investimentos.

Apoio – O presidente da Fiema, Edilson Baldez fez a pregação da unidade. “O momento requer que trabalhemos juntos. A população cobra dos empresários e dos parlamentares os seus anseios para que o Estado possa se desenvolver. Precisamos crescer numa velocidade maior. Esse é um grande desafio para todos nós e precisamos dessa parceria para atender a população. Temos que destravar um pouco alguns assuntos para dar um passo à frente, senão fica difícil o Estado se desenvolver”, destacou.

Baldez aproveitou a reunião e defendeu para os parlamentares o Sesi e Senai. O primeiro teve, em 2018, 18.310 matrículas, 26.306 pessoas atendidas na área de Saúde e Segurança do Trabalho, 793 empresas atendidas, além da Ação Global, que possui mais de 100 mil atendimentos ano. Já o Senai, foram 40.059 matrículas realizadas e 25.240 pela gratuidade (63%).

O presidente da Assembleia, Othelino Neto, ressaltou que o momento é muito importante à adesão dos deputados. “Em relação aos entraves, poucos deles são novidades, em relação ao plano diretor, ele realmente precisa ser discutido e mudamos os representantes da Assembleia para fazer parte das reuniões. Temos um plano que retrata uma realidade de muitos anos atrás. Esse processo não passa pela Assembleia, mas como agente público pode contribuir nesse sentido”.

(Com dados da Fiema e foros de Veruska Oliveira)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação