Professora maranhense concorre ao Prêmio Nota 10 com método de ensino do inglês pelo Reggae

0
389

A Fundação Victor Civita divulgou nesta segunda-feira (20) os dez finalistas do Prêmio Educador Nota 10, disputa da qual particippou a maranhense Marcella Leal Silva, professora da U.I. Maria do Carmo Abreu da Silveira, em São Luís. Ela é autora do projeto Reggae; uma arte de resistência, com o qual concorreu na categoria Língua Estrangeira. 

Ela, que não se classificou, desenvolveu seu trabalho durante três meses, em que os alunos se submetiam a sequências didáticas com canções de reggae jamaicano e nacional. Além disso, a cada semana, recebia em sala de aula artistas convidados para diálogos com os alunos. Nessas ocasiões, os estudantes decoravam o espaço, cantavam, declamavam poemas e presenteavam os homenageados com produções escritas ou artísticas.

O projeto, voltado para alunos do sétimo ao nono ano, ainda incluiu uma visita ao Museu do Reggae e um festival na quadra da escola, que contou com a presença de músicos do movimento regueiro maranhense. Ela diz, no entanto, que não foi fácil.

Dificuldades – Segundo Marcella, o projeto teve inúmeras dificuldades, principalmente na questão financeira.

“Impossível desenvolver um projeto sem material pedagógico, seja uma folha de papel cartão, tecidos de TNT, cola, fita, impressões, papéis diversificados…”, queixa-se, acrescentando que tudo foi desenvolvido com recursos próprios e doações de terceiros, das famílias dos alunos, empresas, recurso próprio e ate de professores da própria escola”, queixa-se. 

Ela diz que quem a motivou a desenvolver o trabalho foi uma aluna do nono ano. “De facilidade posso destacar o empenho, responsabilidade dos próprios alunos. Muito bom trabalhar com eles. São determinados!!!! Trabalhamos durante três meses no desenvolvimento deles”, acrescenta justificando o porquê do tema:

“Nossa ilha é a Jamaica Brasileira e nossos alunos pouco conhecimento tinham sobre o estilo musical. Nada sabiam sobre movimento Rastafari, sobre os Melôs, sobre o ícone Bob Marley, símbolos do Reggae, significado das cores da bandeira do Reggae e muito menos sobre Jamaica. Trabalhamos a aplicação da língua inglesa nessa temática(tradução, oralidade, interpretação e aspectos gramaticais de inúmeras letras de música), alem de dialogar sobre o preconceito”.

Reconhecimento e premiação – O reconhecimento e a valorização desses profissionais se dão por meio da divulgação na mídia, redes sociais e um certificado de participação a cada um dos 50 finalistas. Eles também aguardam com ansiedade a seleção dos 10 vencedores, que serão anunciados no dia 20 de julho no programa Encontro com Fátima Bernardes na Globo.

Os 10 vencedores selecionados ganham um vale-presente no valor de R$ 15 mil. Já o Educador do Ano escolhido pela Academia de Jurados, e que será reconhecido ainda neste ano, recebe outro vale-presente, também no valor de R$ 15 mil. As escolas dos vencedores também recebem uma verba para celebração.

O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. O Prêmio reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. Ao longo das 22 edições anteriores, foram premiados 281 educadores, entre professores e gestores escolares, que receberam aproximadamente R$ 2,85 milhões em prêmios no total.

O Prêmio Educador Nota 10 tem o patrocínio da Fundação Lemann, SOMOS Educação e BDO e o apoio de Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef. Desde 2018, é associado ao Global Teacher Prize, prêmio internacional de educação, realizado pela Fundação Varkey.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação