Projeto Canteiro de Obras vai formar mão de obra especializada naa recuperação de obras históricas

0
93

Iniciativa é uma parceria da Prefeitura e iniciativa privada

Foi lançado, nesta segunda-feira (22), o Canteiro-Escola, que é fruto da parceria público-privada entre a Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-MA) e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae). O objetivo e formar mão de obra especializada em obras históricas e os primeiros cursos estão sendo ministrados pelo Senai.

“Esse é um tipo de mão de obra carente em nossa cidade. Estamos com nossos prédios históricos todos precisando de manutenção, de conservação ou de reconstrução. Muitos proprietários não recuperam seus prédios por falta de mão de obra especializada. Esse programa visa incentivar esse movimento, além de dar oportunidade a esses novos profissionais que estão sendo formados para o mercado de trabalho, mas também para quem está precisando desse tipo de serviço”, ressaltou o presidente da Fiema, Edilson Baldez das Neves, no seu lançamento.

Já o prefeito Eduardo Braide disse que são inúmeras as parcerias com o Sistema S e as entidades do Sistema FIEMA, e que o interessante é levar esse programa para outros pontos de São Luís, fazendo a cidade cada vez mais bonita e conservada.

“Esse programa tem uma importância especial, pois esses alunos não só estão se preparando para o mercado de trabalho, não só estão abrindo uma janela de oportunidade, mas enquanto estiverem aprendendo, vão ajudar a preservar a nossa história e a nossa cultura”.

Fábio Nahuz fala da importância do projeto para setor de construção

História preservada  Os cursos oferecidos são nas áreas da construção civil – Pedreiro de Revestimento e Pintor de Obras Imobiliárias – ambos ministrados pelo SENAI, com carga horária de 400h e 36 alunos no total. Os futuros profissionais receberão bolsa auxílio no valor de R$ 300,00 (trezentos reais), além de alimentação, transporte e fardamento.

O Sinduscon, segundo seu presidente, Fábio Nahuz, é um dos mais interessados nessa parceria, e atraiu empresas para serem patrocinadoras, pois os alunos também estão recebendo uma bolsa de R$ 300,00, alimentação e transporte, “e nós almejamos que esse programa aumente cada vez mais, e que a gente possa capacitar cada vez mais pessoas para trabalhar nas nossas empresas”.

Segundo Kátia Bogea, superintendente da Funph, o programa nasceu para ser grandioso. “Temos vários monumentos que estão na fila para serem recuperados pelo Canteiro-Escola. Cada um tem seu desafio diferente, sua especificidade. No Mercado das Tulhas, por exemplo, nós só vamos precisar de pedreiro e pintor, mas em outros, vamos precisar de marceneiro, carpinteiro, eletricista, restaurador de azulejaria, então, dependendo do tipo de monumento, é que a gente monta o canteiro-escola, com os ofícios específicos para aqueles monumentos”.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui