Quinze pessoas já morreram nas rodovias federais em 2024

2

 

Número de multas cresceu 65% no primeiro trimestre 

Quinze pessoas morreram todos os dias no primeiro trimestre de 2024 nas rodovias federais brasileiras, um crescimento de 9% em relação ao mesmo período do ano passado. Nos primeiros 90 dias de 2024, elas foram palco de 16.921 sinistros, que deixaram 1.363 mortos e 19.996 feridos.

Os dados são de um levantamento feito pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) a pedido da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra) e revelam que estamos falhando na missão de salvar vidas no trânsito. 

“A atual situação é fruto de políticas públicas mascaradas pela promessa de desburocratização, iniciadas em 2019, que culminaram em uma onda de infrações, violência e mortes. Paralelamente a isso a explosão de casos de ansiedade, depressão e transtornos de personalidade fizeram das ruas, avenidas e rodovias os espaços públicos mais desafiadores para se deslocar”, comenta o diretor científico da Ammetra, Alysson Coimbra. 
Mais mortos e feridosA análise dos dados mostra que tanto o número de sinistros, quanto de mortes e de feridos cresceu 9%. E isso é reflexo direto do aumento no comportamento imprudente do motorista. O número de multas aplicadas pela PRF cresceu 65% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2023. Foram 1.332.745 infrações no período, o equivalente a 10 multas por minuto. “Esse aumento das infrações é a materialização do desrespeito às leis de trânsito por motoristas agressivos e intolerantes. O resultado disso é percebido pelo aumento de infrações relacionadas a excesso de velocidade, uma prática que está associada à gravidade é letalidade desses eventos evitáveis de trânsito”, comenta Coimbra. 

Ranking da imprudênciaEntre as principais causas de infrações estão o excesso de velocidade, que rendeu mais de 1 milhão de multas; ultrapassagem pela contramão; desobedecer às ordens dos agentes de trânsito e até mesmo deixar de usar cinto de segurança. 

“Questões que pareciam pacificadas, como o uso de cinto de segurança, voltam a figurar entre as principais causas de autuação nas rodovias federais, mostrando que nossa população acreditou nessa falácia de que cada um pode ser o responsável pela sua própria segurança. Reconstruir o desserviço será uma tarefa difícil, porém possível através do exemplo e da intensificação das fiscalizações. O momento é de extremo caos, e inicialmente precisamos restabelecer a ordem e a paz no trânsito para posteriormente revogar inúmeros retrocessos que foram aprovados pelo Congresso Nacional”, finaliza Coimbra. 
Dados referentes ao 1º trimestre
  • Número total de acidentes
    • 2023: 15.591
    • 2024: 16.921
  • Número total de feridos
    • 2023: 18.332
    • 2024: 19.996
  • Número total de mortos
    • 2023: 1.247
    • 2024: 1.363
  • Número total infrações
    • 2023: 806.683
    • 2024: 1.332.745
Fonte: Polícia Rodoviária Federal

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui