Rebanho bovino maranhense aumenta 3,9% e estado tem mais de 8,3 milhões de animais

1156

Houve expansão de 3,9% na passagem de 2019 para 2020

A Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) aponta que o rebanho de gado bovino no Maranhão voltou a crescer, em 2020, com percentual mais alto do que a média nacional: 3,9% frente a 1,5%. Em 2019, comparado a 2018, o efetivo bovino no estado tinha crescido 2,8% e no Brasil, 0,6%, performance que vem provocando aumento da participação deste segmento pecuário no país.

Segundo o IBGE, o Maranhão, com 8.323.445 animais, tem o 12º maior rebanho bovino do país e o segundo da região Nordeste, perdendo apenas para a Bahia, que tem 9.748.632 de cabeças. O Estado do Mato Grosso continua na liderança do ranking nacional, com 32.705.525 de reses, ou seja, 15,0% do total nacional.

  • Recorte Territorial 2018 2019 2020
  • Brasil – 2018 (213.809.445), 2019 (215.008.958) e 2020 (218.150.298)
  • Maranhão 0 2019 (7.793.180), 2019 (8.008.643) e 2020 (8.323.445)

Açailândia, na microrregião geográfica de Imperatriz, continua na liderança do criatório bovino maranhense, com um plantel de 340.906 reses, correspondendo a 4,1% do rebanho estadual. Amarante do Maranhão, também na microrregião geográfica de Imperatriz, tem o segundo maior rebanho bovino do Estado, com 279.813 cabeças, o que corresponde a 3,4% do total do Estado.

As microrregiões do Pindaré e de Imperatriz possuem os maiores rebanhos bovinos do Maranhão: 1.625.781 (19,5%) e 1.583.119 (19,0%).

Suínos – Em relação ao rebanho suíno, o Maranhão, que possui o 12º maior rebanho do país, 2,5% do contingente nacional, teve em 2020 uma redução no seu plantel. Eram 1.031.222 cabeças em 2019 e ano passado chegou a 1.030.544, uma pequena redução de 0,07%. O contrário aconteceu em nível de Brasil e Nordeste: aumento de 1,40% e 1,04%, respectivamente.

Vargem Grande, na microrregião de Itapecuru Mirim, continua na dianteira do criatório de porcos no estado, com 45.142 cabeças, 4,4% do contingente global estadual. A seguir, vem Pirapemas, na mesma microrregião, com 37.659 cabeças, 3,7% do plantel estadual. A microrregião, porém, que tem o maior contingente de efetivo da suinocultura no Estado é a Baixada Maranhense: 143.283 unidades, 13,9% do efetivo maranhense.

Avicultura – O plantel de galináceos, tipo galinha, também teve queda (-2,12%) no Maranhão na passagem de 2019 para 2020. Eram 2.623.185 unidades em 2019 e, em 2020, 2.567.499. No Brasil, o número de galinhas aumentou 2,0%, em 2020, atingindo um total de 252,6 milhões de unidades.

O Maranhão tinha o 18º efetivo de galináceos do Brasil, e o quinto maior na região Nordeste, sendo superado por Pernambuco (13.939.678), Ceará (13.248.356s), Bahia (6.844.334) e Paraíba (2.811.603). Desde 2018 que o efetivo de galináceos vem diminuindo no Maranhão.

Búfalos – Sobre o rebanho bubalino, o mesmo, de 2015 a 2017, vinha aumentando no Maranhão, mas por dois anos consecutivos, 2018 e 2019, retraiu-se, voltando a crescer em 2020, 5,4%, inclusive acima da média do país: 4,8%.

O Maranhão possui o quarto maior rebanho bubalino do país, com 6,3% do efetivo de cabeças, totalizando 93.945 búfalos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui