Recrutamento eficaz pode fazer um grande diferencial numa empresa

0
617

O investimento no capital humano pode ser tornar um grande diferencial para as empresas alcançarem bons resultados, portanto fazer recrutamento e seleção eficaz ajuda os gestores a encontrar colaboradores certos para cada vaga, que atendam às necessidades exigidas para o posto de trabalho. Quando não se aplica bons critérios nessa etapa do processo de contratação, inúmeras falhas podem ocorrer e comprometer tanto a produtividade da empresa, quanto prejudicar o desenvolvimento da carreira de um profissional.

Nos últimos meses do ano, alguns setores, como comércio e indústria, fazem contratações temporárias para atender a demanda por compras de Natal e Ano Novo. Ainda nesses casos, é preciso dedicação e atenção aos processos de recrutamento, pois, com a missão de reduzir custos e aumentar as margens de lucro, é muito comum se deparar com empresas que optam por contratar candidatos menos experientes em vez de investir em um bom capital humano.

Para Alexandro Henrique Correa Feitosa, psicólogo e analista de recursos humanos, mestre em Psicologia e especialista em Gestão de Pessoas, com 20 anos de atuação no mercado maranhense, o maior problema na seleção de candidatos em processos seletivos é a falta de mão de obra em plenas condições de atender o perfil desenhado para uma determinada vaga. “Acredito que esse é o novo/velho problema, sobretudo, se essa vaga exigir competências que tenham a ver com os aspectos relacionados à gestão”, diz ele.

Feitosa lembra que cada ano que passa, o mercado de trabalho fica mais competitivo. Surgem novas especializações, novos pré-requisitos para preencher boas vagas. Mas há cinco, dez anos, o cenário era de uma competição menos intensa, até porque as qualificações profissionais eram menos exigentes, mas, para os candidatos, uma coisa não mudou: a necessidade de se ter um currículo objetivo e que se enquadre perfeitamente ao perfil do processo seletivo, o que os recrutadores chamam de currículo limpo.

Para a administradora de empresas Ralliane dos Santos Brandão, de 36 anos, que estava há um ano e três meses desempregada e passou por oito processos seletivos nesse período, o currículo realmente é um dos calcanhares de Aquiles para quem busca se recolocar no mercado. “Como passei três anos em uma empresa e fui promovida, não tive a preocupação em alimentar as informações referentes aos cargos. Quando me sentei para verificar e atualizar, percebi que havia que revisar e estudar parao melhorar a minha apresentação”, relata.

Recrutamento – Para a analista de recrutamento e seleção do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), órgão do Sistema Federação das Indústrias (Fiema), Isabelle Campelo, um bom recrutamento leva em conta aspectos importantes, como produtividade, competências emocionais e competitividade são levados em consideração. E embora existam diversas maneiras de simplificar o recrutamento, alguns casos exigem um pouco mais de atenção, como as vagas muito específicas ou que requerem um alto índice de qualificação profissional. Para esses cenários, uma boa alternativa é encontrar um especialista em recrutamento e seleção. Pode ser desde uma empresa terceirizada ou até mesmo rastrear em sua equipe um colaborador que tenha as qualificações necessárias para encabeçar um processo como esse.

Outro diferencial apontado pela especialista é que um bom currículo com cursos, pós-graduação, MBA, intercâmbios e tudo mais que agrega valor ao profissional já não é mais o suficiente para garantir uma vaga no mercado de trabalho. Não que competências técnicas não sejam avaliadas, porém se busca outro tipo de competências: as emocionais.

Isabelle lembra que as Soft skills (competências emocionais) enfatizam a personalidade e comportamento do profissional. Envolvem aptidões mentais, emocionais e sociais. Também estão relacionadas à forma de interagir com as pessoas e colegas no ambiente corporativo e, por consequência, com a produtividade da equipe. Além de serem difíceis de avaliar e não são adquiridas com capacitação técnica. “O IEL utilizando de sua expertise no processo de recrutamento e seleção para o programa de estágio nas empresas, passou a associar essa capacidade técnica também para seletivo de colaboradores”, destaca.

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação