Roberto Rocha desconfia que Flávio Dino vai trocar PCdoB pelo PT

0
999

AQUILES EMIR

O senador Roberto Rocha (PSDB) está convencido de que o governador Flávio Dino (PCdoB), até o mês de abril, vai trocar o PCdoB pelo PT a fim de garantir apoio do ex-presidente Lula ao seu projeto de reeleição, temendo que o petista possa reeditar no estado as alianças com o MDB de José Sarney, assim como foi em 2002, 2006, 2010 e 2014, ou fique descompromissado com qualquer candidato no estado.

Esta migração ainda não se concretizou porque o governador está aguardando julgamento do ex-presidente pela Justiça Federal, que pode confirmar ou não sua elegibilidade.

Caso concretize isto, diz o senador, Dino acabará com a discussão de militantes do PT que cobram vagas na chapa majoritária, pois ele já seria o maior representante do partido, e fará com que Bira do Pindaré migre do PSB para o PCdoB pelo qual será lançado senador, deixando José Reinaldo (PSB), Waldir Maranhão (Avante) e Eliziane Gama (PPS) à deriva, já que os partidos destes não são garantias de aliança com os comunistas.

Outro motivo seria o desconforto que o governador quer evitar de ser obrigado a carregar a candidatura presidencial de Manuela D´Ávila, o que pode ser uma senha para o eleitor de que está contra Lula. Vale recordar que na entrevista concedida na última terça-feira (19), Flávio Dino disse que é mais “lulista” do que qualquer petista no Maranhão, ou seja, sente-se o mais afinado com o ex-presidente.

O senador faz questão de lembrar que essa estratégia pode ser arriscada e precisa ser bem costurada porque Flávio Dino não é visto com confiança pelo PT nacional, que já lhe deu as costas em duas eleições, a de 2010 e a de 2014. Segundo, e não foi bem avaliada também a pretensão do governador de querer ir a Geraldo Alckmin para barrar a filiação de Roberto Rocha, o que seria uma espécie de pacto com o tucano em troca da manutenção do vice-governador Carlos Brandão na legenda, mas esta audiência não houve porque o governador paulista disse que jamais trataria de assuntos do PSDB com pessoas de outras legendas.

Para Roberto Rocha, se isto ocorrer sua candidatura será favorecida, pois o grande embate nacional será entre o ex-presidente Lula (se não for condenado e impedido de concorrer) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o que vai criar polarizações entre PT e PSDB em todos os estados, ou seja, no Maranhão,  confronto vai ser entre ele e Flávio Dino.

O pré-candidato tucano acredita ainda que muitos partidos que hoje sinalizam apoio a Flávio Dino vão estar, na verdade, no seu palanque, por conta da grande aliança que vai se criar em torno de Alckmin. Seriam eles: PSB, PPS, DEM e PTB. “Vamos fazer o maior arco de aliança do país”, diz ele, que aposta numa verticalização dessa coligação a todos os estados, pois estava deve ser uma imposição do PSDB.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação