Sálvio Dino é lembrado por imortais e familiares em Sessão da Saudade da Academia Maranhense de Letras

0
150
Salvio diz que o filho pode ser o segundo maranhense a ocupar a Presidência da República

Flávio Dino se emociona e não contém as lagrimas ao falar do pai

Foi realizada nesta quinta-feira (03) uma sessão remota da Academia Maranhense de Letras (AML) para homenagear o jornalista, advogado, político e escritor Sálvio Dino de Castro e Costa. Ele era ocupante da cadeira 32 e faleceu dia 23 de agosto, aos 88 anos.

O objetivo da sessão foi render homenagem ao imortal do qual os acadêmicos não puderam se despedir, haja vista ter falecido em consequência do covid-19 e pelo protocolo do Governo do Estado, para este tipo de falecimento, não pode haver velório presencial, sendo permitido no máximo uma pequena reunião de pessoas mais próximas por curto espaço de tempo.

Segundo o presidente da AML, Carlos Gaspar, a sessão serviu também para uma maior aproximação dos membros da Academia dos familiares de Sálvio Dino, a fim de que pudessem recordar seus principais feitos como homem público e familiar. Esta foi a terceira sessão da saudade realizada pela AML, que há duas semanas havia prestado homenagens também a Waldemiro Viana e Milson Coutinho, falecidos 03 e 04 de agosto, respectivamente.

Idealizador desses encontros, Carlos Gaspar diz que não tem sido fácil conviver com tantas perdas em tão pouco espaço de tempo, pois, além desses três, faleceu em maio, José Maria Cabral Marques. Pelo luto que a instituição vem passando, Carlos Gaspar diz que não seria sensato pensar neste momento em eleição para preenchimento dessas quatro cadeiras. “A Academia ainda chora”, diz.

Emoção – Da sessão em homenagem a Sálvio Dino, participaram, além de acadêmicos, familiares do homenageado, dentre eles o governador do Estado, Flávio Dino; o procurador da República Nicolao Dino e o advogado Sálvio Dino Júnior, que prestaram depoimentos rememorando fatos ocorridos entre eles e o pai, bem como no que testemunharam da vida pública do genitor.

Flávio Dino era o mais chocado com a perda. Ele fez uma explanação emocionante, exaltando as virtudes de Sálvio Dino no exercício de suas profissões e no cumprimento dos mandatos que lhe foram conferidos pela população do Maranhão (deputado estadual e prefeito de João Lisboa). Flávio Dino não conteve as lágrimas ao falar do pai.

Dos acadêmicos, prestaram seus depoimentos, além do presidente, Benedito Buzar, Antônio Carlos Lima, Ney Bello Filho, Joaquim Haickel e Félix Alberto Lima.  Carlos Gaspar recordou da última aparição de Sálvio Dino na Academia, dia 12 de março, quando fez a saudação pela posse da nova diretoria. Para ele, o Maranhão perde muito com esse falecimento, e o legado por ele deixado jamais será esquecido.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação