Santos vence The Strongest e assume liderança do Grupo 2 na Libertadores

0
546

O Santos assumiu a liderança do Grupo 2 da Libertadores. Nessa quinta-feira, o time da Baixada recebeu o The Strongest, da Bolívia, na Vila Belmiro e venceu por 2 a 0, com gols de Ricardo Oliveira e Renato, os jogadores mais experientes do time.

Com a vitória, o Santos chega aos quatro pontos após duas rodadas, na primeira posição da chave. The Strongest e Santa Fe, ambos com três, vem na sequência, e o Sporting Cristal, com um, é o laterna.

O Santos tomou um susto logo aos quatro minutos em cobrança de falta perigosíssima do meia Pablo Escobar. Pelo local da cobrança, esperava-se um cruzamento, mas o jogador paraguaio naturalizado boliviano bateu direto para o gol surpreendendo Vladimir. A bola bateu no travessão e tocou no chão, passando muito perto de entrar.

Aos poucos, o Santos foi entrando no jogo e passou a criar jogadas de perigo, principalmente em escapadas de Bruno Henrique pela direita. O time boliviano também levava perigo nos contra-ataques, mas tudo mudou aos 45 minutos, quando Veizaga, o único jogador que já tinha cartão, cometeu falta dura em Lucas Lima e foi expulso.

Se com um jogador a mais, a missão do Santos já ficaria mais fácil, Ricardo Oliveira tratou de simplificar ainda mais e, na cobrança da falta, abriu o placar, levando os brasileiros em vantagem para o intervalo.

Embalado pelo primeiro gol, o Santos voltou para a segunda etapa pressionando e perdeu uma série de oportunidades de ampliar a vantagem.

Sem conseguir matar o jogo, o time da casa corria riscos até os 38 minutos, quando Lucas Lima cobrou falta da direita e Renato completou de cabeça para garantir a vitória.

A terceira rodada do Grupo 2 da Libertadores será disputada só no mês de abril. Na terça-feira, dia 18, o The Strongest visita o Sporting Cristal no Peru. Na quarta, o Santos vai a Bogotá, na Colômbia, jogar com o Santa Fe.

CHAPE PERDE PARA O LANÚS DE VIRADADerrota – A Chapecoense também entrou em campo pela segunda partida da fase de grupo da Conmebol Bridgestone Libertadores, nesta quinta-feira à noite,  na Arena Condá, contra o Lanús, da Argentina, e mesmo saindo na frente no placar, acabou sofrendo a virada.

A partida começou bastante movimentada, com a Chape levando perigo ao gol do Lanús. Logo aos 12 minutos, no entanto, a equipe sofreu uma baixa importante: o volante Moisés Ribeiro sentiu a coxa e precisou deixar a partida. Com o desfalque, Mancini precisou mudar o estilo de jogo, colocando Osman na vaga de Moisés e recuando Luiz Antonio.

A etapa complementar iniciou ainda mais movimentada e, dessa vez, com rede balançando. Aos quatro minutos, após chute de João Pedro, a bola sobrou para Rossi, que estufou as redes abrindo o placar para o Verdão. O jogo seguiu em ritmo tão acelerado que mal deu tempo de a torcida alviverde comemorar a vitória parcial. Aos sete, com Aguirre, o Lanús chegou ao empate. Aos 20, após falta de João Pedro sobre Acosta, o árbitro anotou pênalti para a equipe argentina, convertido por Sand. A frente no placar, o Lanús passou a cadenciar a partida e ainda marcou o terceiro, aos 35, com Acosta, encerrando a partida em 3X1.

Apesar da derrota e dos três gols sofridos – o técnico Vagner Mancini fez questão de destacar o equilíbrio que há entre os times e, principalmente, as possibilidades de classificação que ainda existem para ambos, já que esta foi apenas a segunda partida da fase. Além disso, o técnico pontuou o quanto fator emocional pesou na Chapecoense e considerou esse um dos fatores determinantes para o revés.

O próximo compromisso da Chapecoense é no próximo domingo, às 19h, diante do Tubarão, em partida válida pela segunda rodada do returno do Estadual.

(FPF e Chapecoense)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação