São Paulo vai à Argentina e não passa de um empate na estreia pela Sul-Americana

0
467

O São Paulo não passou de um empate sem gols contra o Defensa y Justicia, pela Sul-Americana, na noite desta quarta-feira (05), na Argentina. O tricolor não conseguiu envolver o adversário e levou a decisão para o Morumbi,  dia 11 de maio, quando as equipes se enfrentarão na partida de volta para definir o clube que avançará no torneio continental.

O São Paulo não contou com Sidão (lombalgia), Bruno (entorse no tornozelo direito), Edimar (estiramento no tendão do músculo reto femoral da coxa esquerda), Cueva e Lucas Fernandes (ambos com estiramento no músculo posterior da coxa esquerda). Já Cícero foi o desfalque de última hora: com dores na canela esquerda, o camisa 8 não seguiu com a delegação.

Lugano e Wesley cumpriram suspensão automática (foram expulsos na segunda semifinal da Libertadores da América de 2016, contra o Atlético Nacional-COL), enquanto Maicon estava fora de combate por ter sido expulso no primeiro jogo diante dos colombianos (cumpriu o segundo dos três jogos da suspensão imposta pela Conmebol). Por opção da comissão técnica, o goleiro Renan Ribeiro, o volante Thiago Mendes e os atacantes Luiz Araújo e Neilton não foram relacionados.

O técnico Rogério Ceni escalou o time com Denis; Rodrigo Caio, Breno e Lucão; Araruna, João Schmidt, Jucilei, Wellington Nem e Buffarini; Chavez e Lucas Pratto. Já o adversário começou a partida com Arias; Rivero, Hugo Silva, Bareiro, Barboza e Delgado; Leonel Miranda, Jonas Gutierrez e Castellani; Stefanelli e Agustín Bouzat.

O iníciodo jogo foi estudado, sem grandes oportunidades e com os mandantes trocando mais passes para buscar as jogadas. Ainda assim, o tricolor paulista assustou primeiro e criou duas chances claras para balançar as redes antes do intervalo. Aos 16 minutos, Wellington Nem ganhou dividida, entrou na área e chutou de esquerda, colocado, e o goleiro Arias espalmou.

Aos 24 minutos, Pratto conseguiu ganhar a bola do zagueiro na disputa e rolou para Wellington Nem, que, bateu e parou novamente no goleiro argentino. Após as investidas do Tricolor, o Defensa y Justicia tentou responder e atacou, mas foi neutralizado pelo sistema defensivo são-paulino.

Na volta para a segunda etapa, com o intuito de dar mais ofensividade ao time e mudar o panorama do jogo, Rogério promoveu a entrada do jovem Shaylon na vaga de Breno. No entanto, apesar de ter mais opções na frente, o São Paulo não conseguiu evitar que os argentinos ficassem mais tempo na frente e criassem as chances de ataque.

Então, para dar mais segurança ao lado esquerdo e conter o ímpeto do rival, Ceni apostou em Junior Tavares, que entrou no lugar de Chavez. E quando tentava equilibrar as ações do jogo para conter as descidas do Defensa y Justicia, o time são-paulino sofreu uma baixa: Buffarini recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso, aos 29.

Para compor a defesa, o técnico colocou Wellington em campo – na vaga de Shaylon. Bem postado atrás, o São Paulo protegeu o gol de Denis e atuou com sabedoria para segurar o empate e levar a decisão para o Morumbi: 0 a 0. No dia 11 de maio, na capital paulista, brasileiros e argentinos se enfrentarão para definir o clube classificado para a segunda fase da Sul-Americana de 2017.

(Com dados do SPFC)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação