Sebrae seleciona projetos para desenvolvimento de bionegócios inovadores na região da Amazônia

0
122

Edital foi apresentado durante a Campus Party Digital 2021

O Serviço Brasileiro de apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) lançou, nesta sexta-feira (23), o edital de seleção de projetos para desenvolver negócios que unam tecnologia, inovação e bioeconomia. A iniciativa faz parte do projeto piloto do Sebrae, Inova Amazônia, no estado do Pará, com oportunidade para empreendedores de todo o país que querem desenvolver ideias de negócios ou que já atuam no mercado, de forma sustentável e inovadora, com uso de insumos da biodiversidade da Amazônia. O lançamento oficial da seleção foi feito durante o painel “Amazônia Inovadora: oportunidades para startups de bioeconomia”, realizado na 2ª edição da Campus Party Digital.

As ações do programa Inova Amazônia – Edição Pará contam com parcerias com o governo do estado paraense, do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá e apoio da União Europeia. Os interessados devem ser inscrever até o dia 5 de setembro com a submissão das propostas, de acordo com o edital. As propostas podem ser feitas por pessoas físicas ou pessoas jurídicas, no caso micro e pequenas empresas que faturam anualmente até R$ 4,8 milhões.  Para conhecer mais detalhes do programa Inova Amazônia e como se inscrever, basta clicar aqui.

Durante o painel realizado na Fábrica de Empreendedores da Campus Party Digital, o diretor superintendente do Sebrae/PA, Rubens Magno, ressaltou que o principal objetivo do programa é o fortalecimento da bioeconomia da região. “Queremos mostrar que temos uma capacidade muito grande de desenvolver a nossa economia de maneira inovadora, utilizando a marca da Amazônia. Além disso,  mostrar que temos condições, de maneira sustentável, de fazer negócios, trazer riqueza e levar a Amazônia para o mundo todo”, ressaltou.

A apresentação dos detalhes do edital foi conduzida pelo diretor técnico da aceleradora corporativa Neo Ventures, Vinicius Roman. A empresa, que atua há mais de 10 anos no mercado de inovação e no desenvolvimento de startups, será a responsável pela execução da fase de aceleração dos projetos selecionados pelo programa Inova Amazônia. O empresário destacou ainda que durante o programa o empreendedor terá oportunidade de participar de eventos de ativação, aceleração, com apoio financeiro por meio de uma bolsa de R$ 36 mil ao longo de até seis meses, além de conexão com investidores e apoio para acessar mercados internacionais.

“Para começar essa jornada de inovação conosco não precisa, inicialmente, ter uma empresa constituída. Basta ter uma ideia inovadora relacionada a esse uso estratégico dos recursos naturais da Amazônia e que, com esse projeto, consigam validar o potencial de se transformar em um negócio e estruturar melhor essa operação com nosso suporte”, explicou.

Para mostrar o potencial de negócios inovadores e sustentáveis, o Sebrae convidou a empreendedora e doutora em biotecnologia Valéria Mourão de Moura para compartilhar a experiência da empresa Deveras Amazônia, fundada por pesquisadores do Pará. Criada em 2018, o bionegócio atua na região de Santarém com a  valorização de ervas e frutas nativas como camu-camu, pajurá, entre outras, para a produção de geleias, licores, conservas e desidratados, com o envolvimento das comunidades de produtores da região.

A analista Valéria Schneider, da unidade de inovação do Sebrae, finalizou o painel convidando os empreendedores e potenciais empreendedores de qualquer parte do país a se inscreverem no programa Inova Amazônia – Edição Pará, e afirmou que o Inova Amazônia é uma iniciativa do Sebrae que será ampliada para outros estados da Amazônia e para outros biomas brasileiros.

Impactos da inovação

Ainda nesta sexta-feira (23), o Sebrae promoveu o painel remoto “A importância da inovação para o aumento da produtividade” com as presenças de Marcus Vinícius Bezerra, analista de inovação do Sebrae; o empresário Edival José de Assis e Maisa Silvestre, Agente Local de Inovação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que atua em parceria com o Sebrae/PR.

Os brasileiros são altamente criativos, e possuem muitas ideias. A questão é que tudo isso deve ser transformado em inovação, e o mercado precisa comprar”, alertou Marcus Bezerra. Segundo ele, torna-se indispensável que os empreendedores apostem em ferramentas que façam alguns processos da empresa de forma automatizada.

“Ao olharmos o dia a dia do empresário, sabemos que muitas vezes ele precisa cuidar do estoque, atender os clientes e entrar no processo produtivo. Ao usar alguns recursos automatizados, ele conseguirá destinar mais tempo para ter uma visão macro do negócio”, avalia.

Segundo Edival Assis, sócio proprietário da Fratello embutidos, tecnólogo em Logística empresarial e bacharel em ciências contábeis, é fundamental que a empresa tenha planejamento de todas as atividades a serem desenvolvidas e uma equipe bem alinhada. “Desde o início da nossa operação, sempre ouvimos o nosso time.  Fazemos degustação duas vezes por semana dos nossos produtos internamente, com o intuito de testar a qualidade”, acrescentou. Originada na década de 70, no Paraná/PR, a empresa deu os primeiros passos por meio do trabalho artesanal do sogro.

“Vemos hoje que se a gente continuar vendo ou fabricando os mesmos produtos, só seremos mais um concorrente no mercado. Percebemos ainda que o crescimento surge graças à inovação”, acrescentou.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação