Secretário de Agricultura diz que produção de soja vai cair no Maranhão na safra de 2016

0
467

AQUILES EMIR

Contrariando a projeção anunciada semana passada, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), sobre a safra 2015/16, o secretário estadual de Agricultura, Márcio Honaiser, admitiu nesta quarta-feira (20), que a produção de soja no Maranhão deverá cair este ano. De acordo com o secretário, em contrapartida, deverá aumentar a produção de milho, já que o retardo das chuvas fez com que os agricultores utilizassem os campos já preparados para o plantio da soja para cultivar o outro grão.

De acordo com a Conab, a área que seria plantada no Maranhão, para a safra da soja, seria de 762,3 mil hectares, ou seja, 1,7% a mais que a da safra passada, 749,6 mil de hectares. Esse plantio iria garantir uma produção de 2 milhões 148,2 mil toneladas do grão, numa variação positiva de 3,8%, na comparação com a colheita do ano passado, que foi 2 milhões 69,6 mil toneladas. Ocorre, segundo o secretário, que, devido ao retardo do inverno, metade da área deixou de ser cultivada e boa parte do plantio já está comprometida.

Márcio Honaiser (foto), que é produtor rural em Balsas, no sul do estado, região de maior cultivo de soja no Maranhão, preferiu não estimar produção, pois, segundo ele, “tudo agora seria na base do chutômetro”. Ele foi categórico ao afirmar que está preparado para um recuo da soja na safra deste ano. Pode ser que ainda haja tempo de plantar, mas, como sua experiência de agricultor, acha difícil recuperar o que já foi perdido.

Para ele, o alento será o aumento da produção do milho, que está estimada, pela Conab, em 1 milhão 456,5 mil toneladas, mas que deve crescer, porque a cultura se tornou alternativa para quem não pretende jogar fora todo o preparo de solo.

Arroz – Quanto ao arroz, que este ano deverá sofrer uma queda de 13,6% na produção, caindo de 496,0 mil toneladas, ano passado, para 428,7 mil toneladas em 2016, o secretário já não alimenta mais a expectativa anunciada em dezembro de 2014, antes de tomar posse, de que o Maranhão poderia chegar a um volume de 1 milhão de toneladas. Segundo ele, o cultivo do grão no estado não é economicamente favorável.

Márcio Honaiser diz estar convencido de que a produção maranhense de arroz só vai crescer a níveis satisfatórios quando dos campos da Baixada forem ocupados pelo plantio, pois o preparo do solo é menos oneroso.

O secretário disse ainda que o do governador Flávio Dino (PCdoB), ano passado, de injetar R$ 3 milhões em Salangô, projeto de irrigação no município de São Mateus, está sendo cumprido ao poucos. Sem precisar números, disse que já houve investimentos em abertura de canais para irrigar o solo e melhoria de estradas para escoamento da produção. Este ano, deverão ser plantados 2 mil hectares no município.

O secretário disse que ainda trabalha com a estrutura encontrada em 2015, portanto somente a partir deste ano, principalmente depois de definido o orçamento da pasta, após a anexação da Pesca, poderá ter programas próprios para promover a agricultura maranhense.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação