Senadoras trocam acusações após vídeo veiculado na TV Al Jazeera

0
467

A senadora Ana Amélia (PP-RS) criticou nesta quarta-feira (18) a entrevista que a senadora Gleisi Hoffmann (PT-RS), concedeu à rede de TV Al Jazeera, com sede no Catar. Para Ana Amélia, na entrevista, Gleisi, que é presidente do PT, prejudica a imagem do Brasil. “A presidente do Partidos dos Trabalhadores denegriu a imagem do Poder Judiciário, do Ministério Público, atacou a imprensa do nosso país de uma maneira que não respeita os princípios, eu diria, constitucionais”, disse Ana Amélia na sessão desta quarta-feira (18).

No seu entendimento, a presidente do PT não tem argumentos para fazer uma defesa consistente para provar a inocência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e recorre ao discurso político, colocando em dúvida a correção da Justiça e do Ministério Público do país. “Só espero que a convocação ao apoio dos países árabes feito pela presidente do PT, através da rede de TV Al Jazeera, não tenha sido também um pedido para que o Exército Islâmico venha ao Brasil atuar aqui”, afirmou a senadora.

Ao receber aparte do senador Humberto Costa (PT-PE) em defesa de Lula, Ana Amélia afirmou que reconhece os acertos de seu governo, o que não lhe permite ignorar os crimes praticados pelo ex-presidente.

Ela afirmou ainda que a aceitação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por corrupção, pela unanimidade dos cinco ministros da 1ª Turma — Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Alexandre de Moraes — reforça a independência do Ministério Público e do Judiciário, acusados em discursos políticos de perseguir o PT.

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária.   À tribuna em discurso, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).  Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Defesa – A senadora Gleisi Hoffmann (PT-RS) rebateu as críticas de Ana Amélia. “A entrevista que dei à rede Al Jazeera tem o mesmo conteúdo das entrevistas que dei à BBC, de Londres, à agência EFE, da Espanha, à TV SIC, de Portugal, à Agence France-Presse, da França. Absolutamente a mesma. Penso que o incômodo com essa entrevista, só posso reputar isso à ignorância, ao preconceito, à xenofobia contra o povo árabe. Aliás, mais do que isso, chega a ser má-fé”.

Gleisi disse ter se dirigido ao mundo árabe, por meio da Al Jazeera, para denunciar que o ex-presidente Lula é um preso político. E destacou a aproximação do Brasil com os países árabes ocorrida durante os governos Lula.

“Lula é um grande amigo do mundo árabe. Ao longo da história, milhões de imigrantes árabes e palestinos vieram ao Brasil, mas Lula foi o único presidente brasileiro que visitou o Oriente Médio. Em seu governo, o comércio com o Oriente Médio se multiplicou por cinco. Em 2005, Lula promoveu, em Brasília, a primeira conferência da América do Sul e dos países árabes, estendendo os laços de amizade a toda a nossa região. E o Brasil foi um dos três países não árabes convidados para a Conferência de Anápolis, em 2007. Lula sempre defendeu a existência do estado palestino”, disse a senadora.

Gleisi reafirmou a inocência de Lula, condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. “A maioria do povo brasileiro quer viver como nos tempos de Lula. Todas as pesquisas mostram que Lula será eleito o próximo presidente do Brasil. O objetivo da prisão ilegal é não permitir que Lula seja candidato, mas o povo está resistindo a essa injustiça. Há manifestações, todos os dias, em todos os lugares do país”.

(Agência Senado)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação