Sérgio Macedo representa o Maranhão em debate nacional sobre combate às fake news

6
Secretário de Comunicação, Sérgio Macedo (E), representou o Maranhão no debate no Rio de Janeiro. (Foto: divulgação)

Fórum reúne representantes da comunicação governamental de todas as regiões

O secretário estadual da Comunicação Social (Secom) do Maranhão, Sérgio Macedo, participou quarta (20) e quinta-feira (21) do 2° Fórum Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação, realizado no Palácio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro (RJ). O fórum reuniu 22 representantes do setor da comunicação governamental de todas as regiões do Brasil, além de jornalistas e outras autoridades.       

O primeiro dia de atividades foi focado no debate sobre o papel da comunicação governamental no combate às fake news – expressão em inglês utilizada para rotular notícias falsas.

“A desinformação, que muitas vezes coloca em pânico a população, é o foco desse fórum. A fake news, em geral  criada por interesses contrariados, é uma chaga a ser severamente combatida – buscamos esse caminho”, afirmou Sérgio Macedo durante o evento. 

Secretária Adjunta de Marketing e Canais Digitais da Secom, Roberta Gomes, também participou do Fórum. Na imagem, Roberta conversa com o secretário de Comunicação do Governo do Rio de Janeiro, Igor Marques. (Foto: divulgação)

Combate à desinformação – No primeiro dia do 2° Fórum Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação, o painel “O Brasil e os desafios das gestões estaduais no combate às fake news”, destacou os impactos das fake news como fatores que podem comprometer os processos democráticos. 

O debate contou com palestra de representantes do Poder Judiciário. Aos secretários de Estado de Comunicação, a juíza Caroline Tauk, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, falou sobre o papel e as ações do Judiciário, liberdade de expressão e a importância da união entre os poderes e a sociedade civil para enfrentar informações fraudulentas.

“As fake news consistem na divulgação massiva e sistemática de informações falsas com o objetivo de obter lucro, atingir ou prejudicar uma instituição ou pessoa. Esse enfrentamento deve ser baseado em três pilares: mais informação, capacitação e  transparência. É necessário unir Executivo, Legislativo, Judiciário e a sociedade civil para combater a desinformação”, avalia a magistrada.

Nesta quinta-feira (21), segundo e último dia de debates – desta vez sediado no Palácio Guanabara, sede oficial do Governo do Rio de Janeiro – o painel “Foco no digital: do processo licitatório ao diálogo com a população” abriu a programação. As discussões continuaram ao longo do dia com o painel “Rádios comunitárias: da regulamentação à divulgação das notícias”.

Ao final do encontro, será apresentada uma carta-compromisso para o enfrentamento à desinformação. O manifesto vai ser entregue ao governo federal e ao Congresso Nacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui